Milan: como sair desse atoleiro?

Quando eu, lá no final da década passada, quando ainda existiam alguns fiapos de cabelo nessa minha orgulhosa e brilhante calva - não tão brilhante e bonita quanto à do Editor-Chefe - criei a minha conta na ferramenta do capeta chamada Twitter, havia uma frase que muitos usuários achavam deveras filosófica e com efeito cômico sensacional. O candango colocava bem orgulhoso assim em sua Bio:


"Não me siga, também estou perdido"


Ou qualquer derivado disso. A mensagem era essa, engraçadinha, divertida e conseguia atrair a simpatia de alguns incautos, que seguiam a pessoa mesmo assim. E, neste momento, você está se perguntando o que isso tem a ver com o Milan, certo? Se você pensar direitinho, é essa a melhor descrição de Vincenzo Montella na atualidade.


Antes de mais nada, um aviso. Reforço aqui a minha opinião um tanto quanto conflitante e paradoxal de que se Antonio Conte não estiver desempregado, não há motivos para demitir Montella agora. Independente do sentimento de orgulho ferido que isso traria ao projeto de Fassone e Mirabelli, trazer um treinador tampão neste momento seria começar um trabalho do zero com alguém que não tem os cojones ou o estofo para uma tarefa dessas. Assim, caso o peruquinha do Chelsea não esteja disponível, o cabelinho perfeito do Vincenzo deve ser mantido no cargo.


Contudo, isso não significa que chegou a hora de apertar mais a gravata no pescoço de Vincenzinho, e a culpa é única e exclusivamente dele, qua está mais perdido do que um morcego branco na BatCaverna. Na temporada passada o técnico campano fez um trabalho acima da média com o material humano que tinha à disposição e, ainda, no meio da confusão da venda ou não do clube. Sem um atacante de verdade, com apenas um zagueiro que prestasse e apostando no talento de garotos recém-chegados ao time principal, Montella arrumou o time em um 4-3-3, encaixando todos no melhor posicionamento possível, e fez o Milan voltar a uma competição europeia após 3 anos jogando relativamente bem. Qualquer interis...ops, idiota percebia que com um pouquinho mais de investimento e alguns jogadores de talento naquele meio de campo a tendência era a coisa melhorar ainda mais.


Getty Images
Getty Images

- Eu não tenho A MENOR ideia do que estou fazendo


Só que não. Ao invés de seguir com o bom trabalho, Montella se perdeu completamente quando recebeu apoio da nova diretoria e um belo trator de dinheiro para gastar no calciomercato. O que fora construído na temporada passada foi derrubado sem dó nem piedade por uma bola de ferro com um belo cifrão desenhado. O esquema tático foi abandonado, as peças de apoio e pilares do time em campo foram jogados para escanteio e um erro foi comentido quando o técnico e a diretoria não foram atrás da contratação de dois jogadores que atuassem pelos lado do campo. Além disso, parece que existe uma pressão, seja ela da Diretoria ou mesmo do próprio técnico, para que ele escale sempre o maior número de jogadores contratados possível, independente se eles estejam em suas posições originais ou não.


Desse momento em diante o Milan, assim como seu treinador e aquela velha frase de Twitter, se perdeu e ninguém deveria segui-lo. A desculpa de que o time teve pouco tempo para se ajeitar não serve mais pois a primeira partida oficial da temporada foi há mais de 3 meses, e nesse momento quase todos os contratados por #FassoBelli já estavam à disposição de Montella. Caras, estamos em novembro quase e não houve qualquer evolução até hoje. 


 

Getty Images
Getty Images

- Como isso foi parar ali, cara?


A solução mais simples no momento seria voltar a fazer o simples, retomar a base da temporada passada, confiar na velha guarda e nos garotos. Não há necessidade de usar todos os novos jogadores de uma vez, a escalação deles pode ser dentro da necessidade do time de acordo com as vagas abertas, como o comando do ataque, a lateral esquerda, a zaga do lado esquerdo e o mez'alla do lado direito.


- Curtinhas -


O zagueiro Bonucci deve retornar ao time titular contra o AEK Atenas nessa quinta-feira. Esperamos que ele volte a jogar bem.


Apesar do meu apelo, e para tentar dar uma rotina a esse time, Montella deve seguir com seu 3-4-3 mutante.


Aos pouquinhos, Marco Fassone vai cobrando cada vez mais por resultados em suas entrevistas. Afinal, já estamos quase no meio da temporada e parece cada vez mais difícil a realização do objetivo de retornar à Champions League já na próxima temporada.


Sobre a derrota para Juventus, alguém realmente esperava algo diferente?