Vitória dá adeus a Copa do Nordeste de forma covarde

ALDO CARNEIRO COSTA/Gazeta Press
ALDO CARNEIRO COSTA/Gazeta Press


Covarde. Essa é a única definição que consigo encontrar para o Vitória no momento. A equipe comandada por Argel não viu a cor da bola no terceiro BAVI do ano. O rival venceu por merecimento. Venceu porque colocou a bola no chão e o Leão na roda.


Escrevi aqui que perdemos uma grande chance na quinta-feira de golear o rival e ir tranquilo para o jogo de ontem. Sabia que não seria fácil, mas não esperava que o Vitória facilitasse as coisas.


Guto preparou sua equipe para vencer o Vitória. Argel preparou sua equipe para ver o Bahia jogar. Entrou acuado, esperando o rival e apostando em bolas longas como sempre. E no primeiro erro individual, pagou a sentença. Willian Farias falhou no primeiro gol. Ficou esperando o juiz, deixou a bola escapar e viu Allione colocar no angulo.


O Vitória sentiu, pouco adiantou. Kieza, sem condições nenhuma de jogo, não ajudava. A bola não chegava. Euller e David se preocupavam mais em tentar marcar do que criar. Cleiton Xavier ainda era o único sóbrio no meio campo, mas era difícil jogar no esquema "bolas longas".


O segundo tempo foi de desespero. Sem nenhuma ideia do que fazer, o Vitória continou jogando por uma bola que não veio e ainda viu o rival marcar o segundo. As substituições de Argel são as de sempre. O ineficiente Paulinho sempre entra no jogo.


Não vou falar de arbitragem. O Vitória não chutou a gol praticamente. Não mereceu outro resultado que não fosse esse ai.


Agora é bola pra frente. A diretoria já anunciou a demissão de Argel e sai em busca agora de um novo treinador para a decisão do Campeonato Baiano e o Brasileirão que começa logo mais. 


Quarta tem BAVI de novo. Só espero uma nova atitude do Vitória.


Dizem que Cardenas e Dátolo custam R$ 500 mil mensais juntos. A pergunta é: quem vai pagar essa conta?


SRN!


Me siga no twitter!