Leão ‘come peixe’ antes da semana santa e acaba com a invencibilidade do rival

O poeta Jardel deu a letra anos atrás:



“Classico é classico e vice-versa”



Não importa a circustância. Vencer o rival sempre terá um gostinho a mais.


E pra quem gosta de BAVI, teremos mais dois pela Copa do Nordeste. Pelo baiano, caso a dupla faça a sua parte, teremos outros dois BAVIs na final. Bom para o Leão que pode manter a sua média de triunfos sobre o rival.


O Bahia estava há nove meses sem perder em casa. Chegou o Leão, dono da porra toda, botou moral e calou a Arena 51.



O jogo não vale nada? ESQUEÇA ISSO! Clássico sempre vale alguma coisa. SEMPRE! É outro campeonato, outro momento. Vencer o rival SEMPRE será diferente. Não caia na lorota da sardinha do “perdeu na hora certa”. O Vitória foi mais eficiente e ganhou o jogo. FIM DE PAPO!


Os 33 mil pagantes presentes na Arena 51 viram o Vitória abrir o placar aos 44 do primeiro tempo. Gabriel Xavier fez bela jogada pela ponta e cruzou, Juninho quase fez contra e foi salvo por Armero. Na sobra, Patric serviu Cleiton Xavier para estufar as redes. Vitória 1x0.


O Leão era melhor no jogo. Não merecia ir para o vestiário com o resultado igual. E se um já era bom, veio o segundo. Cobrança de escanteio de Patric para Kanivis estufar as redes. Vitória 2x0.


Maurícia da Matta / EC Vitória
Maurícia da Matta / EC Vitória

Cleiton Xavier corre para comemorar o primeiro gol rubro negro no clássico


No segundo tempo, o Vitória veio com a ideia de controlar o jogo e entrou numa morosidade sem fim. Mesmo com a vantagem numérica em campo - o zagueiro Tiago do Bahia foi expulso ao acertar André Lima -, o Leão recuou demais, deu espaços e deixou o rival chegar. Em uma bobeada, Edgar Junio deixou Geferson pelo meio do caminho e chutou cruzado. Alan Costa foi infeliz no lance e tocou contra as próprias redes.


O gol trouxe intraquilidade para a torcida, que viu Paulinho perder a chance de fechar o caixão. O atacante rubro-negro recebeu a bola livre de marcação, mas chutou em cima do goleiro rival.


O rival ainda tentou chegar com chutes de longa distância, mas Fernando Miguel foi seguro em todos os lances.


Fim de jogo. Vitória continua 100% no baiano e agora direciona os esforços para a Copa do Brasil. Na quinta-feira terá o Paraná pela frente no Santuário Manoel Barradas.


Mas até lá, o gosto de sardinha não irá sair da boca dos rubro-negros. Aqui é Vitória, aqui é Leão.


Chore, Sardinha!


SRN!