Em busca de evolução, Mendes faz experiências no Vasco

www.vasco.com.br
www.vasco.com.br

Nenê em ação: o camisa 10 atuou apenas na primeira parte do jogo-treino com o Sampaio Correa-RJ e deixou o seu gol


Poucos devem ser os vascaínos que não estão preocupados com o futuro do time no Brasileirão desse ano. Depois da eliminação precoce na Copa do Brasil e o fim do sonho do tri estadual em uma semifinal na qual mostramos um futebol muito abaixo dos outros rivais do Rio, o receio de uma Série A problemática certamente se consolidou. Diante disso, vem o que podemos chamar de "ver as coisas pelo lado positivo": com mais tempo sem compromissos oficiais, Milton Mendes terá mais tempo para treinar o time e deixá-lo melhor preparado para as dificuldades que teremos até o fim do ano.


E a preparação começou ontem, com um jogo-treino com o Sampaio Corrêa. Alguns torcedores devem ter pensado que, mesmo em uma partida para treinamento, seria melhor se encarássemos um adversário mais próximo do nível do que encontraremos no Brasileiro. Afinal de contas, o Sampaio nem mesmo conseguiu se manter na Série B ano passado e amargará a terceirona em 2017.


Aí esses torcedores prestarão mais atenção às notícias sobre o jogo e verão que o adversário que encaramos não é a tradicional equipe maranhense, mas sim seu xará do Rio de Janeiro, com onze anos de fundação e que disputa a Série B...do Campeonato Carioca.


É, não chega a ser um oponente que possamos chamar de desafiador. Mas não podemos esquecer que era um treino e que, independente da sua capacidade, é uma atividade mais intensa que um simples coletivo entre titulares e reservas. E, dos males o menor, acabamos vencendo o jogo por 2 a 1, com gols de Nenê e Yago Pikachu.


Segundo Milton Mendes, a partida serviu para manter o elenco em "um índice competitivo" e para treinar um novo esquema, que seria um 3-6-1. Somente com a escalação e sem ter visto a partida, não dá pra sacar muito bem quem jogaria onde. Como era de se esperar, muitos jogadores foram observados e se a nova formação foi respeitada, dá pra chutar que Bruno Gallo e Julio dos Santos atuaram na zaga, Nenê foi o 1 do esquema e que Ederson atuou junto com Talles por alguns momentos (o que nos leva a deduzir que entrou entre os 6 do meio de campo). Ou seja, um monte de experiências foram feitas.


Mesmo com o resultado apertado contra um time que deve ser de uma fragilidade incrível, Mendes se disse satisfeito com o resultado. Pode ter sido uma boa atividade, realmente. Mas, mesmo lembrando mais uma vez que o jogo não passou de um treino, é de se perguntar se marcar apenas dois gols em um time da segundona carioca não é pouco (isso sem falar no gol que sofremos), mesmo em um amistoso.


Mendes tem mais duas semanas até a estreia no Brasileiro, fora de casa, contra o atual campeão da competição. E como esse será um adversário bem mais complicado que o genérico do Sampaio Corrêa, precisaremos evoluir bastante para fazer frente.