Vale a pena o Vasco 'repatriar' Riascos?

www.vasco.com.br
www.vasco.com.br


Justo quando está programada minha estreia nesse novo espaço – no qual terei um trabalho terrível para manter o alto nível do Bruno Guedes, antigo titular do blog –, o Riascos me resolve chutar o balde no Cruzeiro, tornando sua situação insustentável no clube mineiro.


E aí o leitor vascaíno se pergunta: “mas esse tal de JC chega falando dos problemas de outros times justo no seu primeiro dia? Qual é a desse cara?”.


Eu respondo, caro leitor... a questão aqui é que o desabafo do atacante colombiano não é só um problema para Raposa, mas também uma oportunidade para o Vasco. Se o clube vai aproveitá-la, ou mesmo se tal oportunidade vale a pena, é outra história.


Ao terminar de falar “não podem tirar minha felicidade para vir para jogar nesta merda aqui” diante de um microfone, Riascos passou a ter apenas duas opções até o fim da temporada: ou fica encostado no Cruzeiro, recebendo sem jogar, ou volta para o Vasco. Isso porque, já tendo atuado em dois clubes em 2016, ele não poderá jogar em nenhum outro esse ano.


Só que aí, o “não é a hora de fazer bondade para outros clubes”, argumento utilizado pela diretoria cruzeirense quando não quis renovar o empréstimo do colombiano, muda de lado. O Vasco seguiu sua vida e está praticamente fechado com dois atacantes. A volta do Riascos só valerá a pena se vier com um salário que não torne seu retorno uma irresponsabilidade. Ou seja: ou o Cruzeiro aceita pagar boa parte dos vencimentos do colombiano ou pode deixá-lo encostado, arcando integralmente com seus salários até o fim de 2016.


Mesmo tendo marcado seus golzinhos, Riascos não é um craque incontestável que valha uma abertura dos cofres vascaínos para 'repatriá-lo', menos ainda com a chegada de jogadores para sua posição. Ao tornar sua permanência em Minas inviável, o pitoresco atacante acabou colocando o Cruzeiro numa sinuca de bico. Nenhuma das soluções possíveis vai agradar sua torcida.


Se isso tudo aconteceu por conta da recusa do Jorginho em trocar a Colina pela Toca da Raposa, deve ter gente no Cruzeiro profundamente arrependida de ter tomado essa decisão.