Por que a Nike colocou um 'escudo' em volta do símbolo do Tottenham?

Falta uma semana pra Nike oficialmente aportar no norte de Londres com um contrato que coloca o Tottenham, na questão financeira, entre os gigantes da Premier League. 


O design dos uniformes, como sempre, vazou antes do anúncio, evidenciando aquela desmotivante padronização dos layouts da fornecedora americana, mas o real incômodo que parece estar na cabeça do público é que porra é aquele escudo em volta do símbolo?


Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Escudo no brasão dos Spurs deixou pulgas atrás da orelha da torcida


Como supracitado, o anúncio oficial ainda não aconteceu. A Nike só vai poder dar as caras a partir do dia 1º de junho, primeiro dia após o vencimento do contrato dos Spurs com a Under Armour - e certamente a campanha de lançamento do uniforme e de ativação da parceria, que está no forno desde janeiro, não deve demorar para sair. Por isso, ainda não é possível cravar as ideias e referências contempladas pelo time (não) criativo da fornecedora no desenvolvimento do novo fardamento, mas é muito fácil chegar a uma hipótese concreta.


A sugestão é que a Nike tenha escolhido o caminho mais fácil para deixar os uniformes que inauguram a parceria com pelo menos um detalhe diferente de todos os outros de sua coleção. O design “preguiça fantasiada de minimalismo” da Nike, inclusive, é um choque para quem estava acostumado com os desenhos ousados e originais da Under Armour, mas vou receber esses uniformes simples e bonitos de muito bom grado (junto com os quase £30 milhões por ano, é claro).



Curta o One Hotspur no Facebook



O escudo em volta do símbolo foi um ícone das camisas dos Spurs usadas de 1921 até 1966, “protegendo” o cockerel dentro do emblema. Voltou a ser incorporado ao brasão em 1995, mas não durou nem dois anos - o clube mudou o desenho mais uma vez em 1997 e, também menos de dois anos depois, virou o milênio com um desenho mais moderno. De qualquer forma, mesmo com as adaptações e o longo tempo na ativa, o escudo se tornou um ícone instintivamente relacionado aos anos 60 - justamente a década que foi, sem dúvidas, a mais gloriosa da história do clube. 


Um campeonato inglês, três FA Cups, três Community Shields, primeiro time inglês a conquistar o double (título da liga e da FA Cup na mesma temporada, 61/62) e primeiro time inglês a conquistar um título continental (Supercopa da UEFA, 1963) - fora a parte folclórica que não se mensura com troféus e medalhas. Com Danny Blanchflower, Jimmy Greaves, Dave Mackay, John White, Les Allen, Cliff Jones, Alan Gilzean, Bobby Smith e outros gigantes comandados por Bill Nicholson, o Tottenham viveu uma década como gigante.


Getty Images
Getty Images

Branca, lisa e com um escudo contornando o "galinho"; foi com essa camisa que o Tottenham alcançou suas maiores glórias


Aliás, para os mais detalhistas: a gola polo saiu da camisa em 60, dando lugar à gola lisa, por isso não comparo o uniforme atual nem sugiro referências com os uniformes pré-1960. 


No fim das contas, a camisa simplesmente possui uma nova abordagem para uma velha estética, ou seja, reciclando o uniforme de boa parte do século XX. E vale ressaltar também que, não, esse símbolo da camisa não é o “novo símbolo do Tottenham” - fora da vestimenta, o cockerel segue livre do escudo em seu contorno. 


O que importa disso tudo é que a Nike tentou incorporar um ícone de uma época vitoriosa para dar um ar especial para os novos uniformes dos Spurs. O produto final ficou uma mistura esquisita de um símbolo moderno envolto num escudo antiquado. Ou seja, há uma justificativa plausível para o design proposto, mas ela não anula o fato do resultado ter sido, no mínimo, estranho.