Oito jogos e duas vitórias: Luxemburgo segue devendo no comando do Sport

Pelo que o time havia demonstrado na catastrófica atuação em casa diante do Vitória, seria difícil esperar que algo de bom acontecesse ao Sport nas duas rodadas seguintes. Afinal, seriam jogos como visitante diante do Atlético-MG e Santos.

E não é que o Sport conquistou quatro em seis pontos nesta pequena odisseia ao Sudeste maravilha?

Se o empate com o Galo em Belo Horizonte ampliou a “Era Luxa” de seis para sete jogos e uma vitória - como previsto aqui -, o inédito triunfo diante do Peixe na Vila Belmiro foi a fagulha para uma explosão de ressentimentos.


“Onde estão os especialistas agora?” e “Não disseram que o Sport ia voltar com duas derrotas?” foram algumas das frases mais educadas pinçadas nas redes sociais. Quase sempre de autoria de quem curte aquela bajulada em treinador famoso ou diretor almofadinha, alguns até com cargo no clube.

É verdade que o Sport demonstrou uma grande melhora nas duas últimas partidas, quebrou um tabu na Baixada Santista e deixou a zona de rebaixamento. Mas a luz amarela deve continuar ligada na Ilha do Retiro. Para o bem do time.

O Modo Scenario

Surgido nos antigos videogames (atuais E-Sports) de futebol da segunda metade da década de 1990, o Modo Scenario trazia times em situações adversas que precisavam ser revertidas pelo jogador. Como por exemplo jogar apenas os minutos finais de uma partida e marcar o gol da vitória.

Vanderlei Luxemburgo “inaugurou” o Modo Scenario na vida real: sua estreia no Real Madrid em 2005 foi em uma partida interrompida por uma ameaça de bomba e retomada dias depois. Eram seis minutos por jogar e 1 x 1 no placar. O Real venceu por 2 x 1.

Doze anos depois, Luxemburgo tem mais um Scenario pela frente: uma vitória simples contra o Salgueiro, fora de casa, vale 41º titulo pernambucano para o Sport, mais de 50 dias após a primeira partida final.

Poucas vezes na história do futebol se viu uma decisão tão desinteressante para um dos lados, no caso aquele cujo presidente declarou que o estadual não tem importância e que colocaria os juniores para disputar. Mas discurso e roupa sempre estão sujeitos a mudanças, e as buzinas não podem atrapalhar isso.

Se tem uma coisa que não vai mudar a vida do torcedor do Sport é o resultado dessa final. Já a de Luxemburgo será um mar de confetes caso o time volte do sertão com a taça. Os puxa-sacos estão em polvorosa desde já.