Sport 3 x 0 Danubio - É de pedaladas que se vive a vida

É estranho amanhecer em uma sexta-feira tentando sair da cama e acertar uma bicicleta ao mesmo tempo.


Pois a torcida do Sport tem feito isso desde segunda-feira, dia após dia, pela ousada inspiração de um certo sujeito que domingo joga com a camisa 87, quinta com a 10 e faz gol de bicicleta nas duas ocasiões.


Mas é entre um gol de bicicleta e outro que começa a história, com o jogo em 0 x 0, o primeiro tempo quase acabando e gente ainda chegando. Onde diabos se podia imaginar que uma cobrança de escanteio curta e rasteira para alguém cercado por dois adversários e a linha de fundo poderia se tornar um passe de bicicleta.


Ninguém, exceto o camisa 10.


Cabeçada de Francisco Rithely, 1 x 0.



O camisa 10 começa a jogada e dá o recado: “Todo mundo que estiver no ataque pode tentar uma bicicleta”.


Everton Felipe, que prefere não arriscar, escolhe dar o passe para André, que segue a ordem e tenta uma bicicleta que não dá certo, mas sobra para Rogério, que tenta a sua e é bloqueada. Destino é destino, a bola sobra para o camisa 10 que resolve… dar outra bicicleta.


Quem chegou no intervalo só viu mágica no replay. Acontece.


Mas quando o camisa 10 quis bater falta de bicicleta, pareceu um tanto exagerado. Melhor apostar em algo mais seguro, como deixar a cobrança com um moleque bigodudo de 19 anos. 3 x 0 em 90 minutos de sonho em uma competição continental.


Mas a realidade é o que conta depois do apito final, e jogar três dias depois contra o Central pelo Pernambucano nos lembra disso.


Jogar no estádio do Santa Cruz contra um time de Caruaru que não pode jogar em sua cidade e entrou em campo sem se alimentar no jogo anterior.


Tão lindo quanto o festival de bicicletas seria abrir mão dos pontos contra o Central e não ter jogo. Por solidariedade, já que não mudaria em nada as semifinais do estadual: um clássico e Salgueiro contra outro.


Bem mais simples do que dar uma bicicleta para apertar o botão do elevador, como dizem que andou acontecendo lá pras bandas do Recife.