Por que o Sevilla deveria se livrar dos 'fantasmas' Ganso e Montoya

Getty Images
Getty Images

Hora de mudar


Hay que darle boleto a Paulo Henrique Ganso y Walter Montoya. Dois jogadores que não têm a menor condição, neste momento, de fazer parte do elenco. Por razões diferentes, é verdade. Mas não importa. LACITO já para Ganso e Montoya. São dois fantasmas no elenco.


O Sevilla está diante de uma oportunidade espetacular, talvez a maior da sua história. Com um elenco repleto de jogadores confiáveis e com um orçamento que demonstra crescimento e ambição (o salário do elenco é 200% mais alto que o de 5 anos atrás), é hora de dar um passo à frente. E esse passo significa se livrar de Ganso e Montoya.


Sem o dolape Sampaoli, o clima é muito mais tranquilo e saudável, o clube mantém uma estabilidade importante. Com Berizzo, a impressão é que o Sevilla sairá ganhando, com um técnico para largo prazo e menos louco e exageradamente tumultuado como o anterior, com experiência em eliminatórias e na Liga, além de ambição.



A por todas


Da mesma forma, o elenco do Sevilla não perdeu praticamente ninguém (Vitolo e Iborra são úteis, mas foram muito bem substituídos). Vieram reforços importantes, jogadores de garantias, que são capazes de levar o Sevilla a um nível muito alto, superior ao dos últimos anos (lo que ya dice mucho).


O torcedor do Sevilla sabe o que esperar desse time. Banega, Pareja, Navas, Escudero... é um time confiável, um time com a cara do Sevilla. Não são jogadores com nome, e sim com rendimento. Essa sempre foi a grande vantagem do Sevilla, ser subvalorado por conta de jogadores absolutamente desconhecidos, mas com rendimento espetacular. Ou alguém sabia quem era Bacca, Rakitic, Gameiro, Javi Navarro, Palop, Kanouté etc, etc, etc... 


Desta forma, não há espaço para testes. Com Barcelona em horas baixas e Real Madrid talvez relaxado, há espaço para un asalto a la Liga? Talvez não. Mas o Sevilla precisa explorar o seu máximo, sabe que é o melhor momento possível para isso.


Isso significa ter um elenco forte o suficiente para encarar a Champions, a Liga, a Copa... o que vier. Significa ter 25 jogadores prontos, preparados, úteis. Com fome, com ambição. Com talento.


Ganso e Montoya não se adequam a isso.


Ganso, um ano depois da sua chegada a Sevilla, segue sem ser relacionado em jogos importantes. Não tinha a confiança do técnico anterior, não parece ter do atual. O jogo da Champions, do meio de semana... Ganso viu pela TV. Não há motivos para apostar mais neste jogador. Essa é a impressão que se tem. Talvez ele seja relacionado, seja titular no fim de semana, faça 3 gols e dê 4 assistências? Pode ser. Mas não é a impressão que existe hoje.


Ganso parece sempre aislado, sempre pouco participativo. Na pré-temporada, muitos torcedores criticaram suas participações pouco intensas, sem brio. A velha história: correr mais, marcar mais, aparecer mais. Não dá mais para suportar 85 minutos de sumiço e 2 passes geniais. Esse é um sentimento do torcedor. O Sevilla não está mais para testes. 


Nunca se sabe quando Ganso pode jogar, quando vai aparecer, quando vai ser relacionado... Se não há espaço para uma presença em uma relação de 18, para o jogo contra os turcos, seria melhor recuperar algo dos 10 milhões de euros investidos. Suas participações são escassas demais. É um fantasma no elenco. Ninguém sabe quando vai aparecer. Sair seria até melhor para ele. É talentoso, pode render muito bem em uma liga diferente, com um técnico que, de fato, confie nele.


O caso de Montoya é outro. O argentino não tem condição alguma de atuar pelo Sevilla. Protagonizou uma das jogadas mais absurdamente ridículas dos últimos anos. Ou alguém acha que este senhor tem condições de jogar pelo Sevilla? Lance fantasmagórico.


via GIPHY


Chega de experiências. É hora de se livrar dos dois e trazer dois jogadores que possam render desde o minuto 0. Como Navas ou Pizarro.


Chegou a hora da temporada de máxima ambição do Sevilla.