Krohn Dehli: a valorização de jogadores é o segredo do Sevilla

Getty Images
Getty Images

Krohn Dehli: dinamarquês honrado é valorizado pelos torcedores e direção


Michael Krohn Dehli chegou ao Sevilla sem fazer muito ruído. Era um jogador já acima de 30 anos, que tinha como maior destaque uma passagem pelo Celta. O dinamarquês chegou ao time andaluz com o aval de Monchi, mas sem grandes expectativas.


Pouco a pouco, Krohn Dehli começou a ganhar espaço. A temporada era a 15-16. O Sevilla vinha de um bicampeonato consecutivo na Europa League, jogando muito bem e em uma dinâmica muito vencedora. Jogadores como Vitolo e Reyes brilhavam, na mesma posição de Krohn Dehli. 


No entanto, Emery apostou pelo jogador. Krohn Dehli, no começo, gerava certa impaciência na torcida, acostumada a jogadores mais vistosos, talvez mais técnicos. Mesmo assim, o atleta começou a ganhar a atenção e o reconhecimento da torcida.


Krohn Dehli era honrado. Era um meia com uma capacidade de marcação absurda. Não era um jogador brilhante tecnicamente, não era um gênio na armação. Ele fazia o simples, trabalhava corretamente, suava sangue em cada jogada. Era um currante, um trabalhador.



Honor


Esse tipo de jogador recebe muito reconhecimento do torcedor do Sevilla, aquele atleta que siempre cumple. Krohn Dehli trabalhava, sem ruído. E, como conseguia cumprir exatamente tudo que o obcecado Emery pedia, jogava. E jogava bem.


O jogador foi fundamental em vários momentos da temporada, ganhando uma Uefa Europa League no fim das contas. Sendo protagonista. Para o dinamarquês, o sucesso demorou, mas chegou.


Por outro lado, talvez no ápice de sua carreira, Krohn Dehli teve de conviver com um grave problema no joelho. Talvez suficiente para acabar com sua carreira.


No fim da temporada, uma ruptura de ligamentos fez com que muitos acreditassem que sua carreira - ou pelo menos sua passagem pelo Sevilla - estivesse chegando ao fim.



Cabalgada y golazo al Betis


Porém, o danés está de volta. Após praticamente um ano ausente, aos 34 anos, conseguiu retornar, em ótimo nível, sendo usado por Sampaoli no fim da temporada passada e já à disposição de Berizzo. Sempre oferecendo um bom nível, com passes precisos, marcação alucinante e comprometimento com o clube.


Esse tipo de jogador honrado é que faz com que o Sevilla obtenha sucesso nos últimos anos. Se for necessário fazer uma lista de jogadores com esse perfil, nos últimos anos, dá pra preencher uns 10 posts. Krychowiak, Poulsen, Aleix Vidal, David Castedo, Javi Navarro, Palop... encontraram um ambiente favorável e ofereceram um nível que jamais alcançaram em outro lugar.


O comprometimento, aqui, é recompensado.


Por mais jogadores como Krohn-Dehli, Iborra e Javi Navarro.