Por que o torcedor gosta tanto de contratação?

Getty Images
Getty Images

O presidente Castro, o treinador Berizzo e o diretor Arias: torcedor quer mais novidades


Seria melhor se o texto fosse elaborado por alguém com formação em psicologia, para poder tentar explicar melhor as razões para tal fenômeno: por que o torcedor, em geral, tem tanta vontade de ver reforços no clube?


No caso do Sevilla, a situação é inusitada. O clube vive um dos melhores momentos da história, está na Champions, saudável financeiramente e com resultados dignos em campo. O torcedor parece estar satisfeito, mantém elogios ao elenco e tudo mais, mas quer reforços.


Parece algo instintivo. O torcedor sempre quer um novo nome. Não importa se já existem 3, 4 ou 5 jogadores por posição. Não importa se o rendimento dos jogadores é bom. Não importa se a fase do clube é boa. O torcedor quer ver contratação, especulação, apresentação, jogador novato fazendo embaixadinha na frente das câmeras... contratar e contratar. Parece haver alguma compulsão, algum desejo de se criar um hype, uma euforia.


Como se esses jogadores contratados fossem garantia de algo. Muitas vezes, quem vem corre o risco de ser até pior do que quem já está. Em um clube como o Sevilla atual, essa possibilidade existe e não pode ser descartada.


É intrigante essa demanda por contratações. Até aqui, o Sevilla não perdeu ninguém. Diferentemente de outras temporadas, quando, a esta altura, Bacca, Gameiro, Krychowiak... todo mundo estava sendo posto em liquidação, dessa vez não. Não há necessidade, os jogadores estão satisfeitos e o clube não precisa vender para cumprir seu orçamento anual.


Por mais que o torcedor sevillista seja relativamente "pé no chão", não deixa de ser um torcedor. Sempre quer ver uma cara nova, mesmo que tudo esteja bem. Afinal, por que tanta vontade de ver novos reforços?


Não que o elenco do Sevilla seja perfeito, existem necessidades e o clube vai contratar. Mas alguns torcedores se comportam como se eles fossem os responsáveis pelos orçamentos do clube e tivessem brincando de um jogo manager, com a urgência de vender todo mundo e contratar todo mundo, só pelo desejo do novo, de marcar seu estilo.


Vai entender.