Vai logo, carrasco! Torcedor do Sevilla quer Simeone na Argentina

Getty Images
Getty Images

Cholo selección


A sucessão presidencial no cargo de diretor técnico (como chamam, na Argentina, o cargo de treinador) da seleção importa muito mais do que parece. Bauza disse adeus e agora virá outro. Os olhos dos argentinos estão voltados para o futebol espanhol. De lá parece que virá o sucessor. E aí interessa bastante ao Sevilla.


Antes de Simeone, o Atlético de Madrid era um clube à deriva. Não conseguia ser competitivo, gastava rios de dinheiro com contratações que não funcionavam e estava muito mais próximo dos clubes intermediários do futebol nacional do que da dupla Barcelona/Real Madrid.


O treinador argentino impôs um estilo eficaz e vitorioso, capaz de conduzir o clube a um outro patamar, inegavelmente. Não há argumentos possíveis contra o trabalho de Simeone. Por isso, sua ida à seleção argentina deveria ser prioridade absoluta para a AFA (Federação Argentina).


E parece ser. Embora o técnico não queira, a princípio, abandonar o seu clube (algo bastante digno, diga-se de passagem), os dirigentes encarregados de escolher o próximo treinador buscarão um novo contato para saber se Simeone vai novamente rejeitar o cargo.


Caso aceite o desafio de treinar a Argentina, o Sevilla sai ganhando. Não tanto por manter Sampaoli, visto que se trata de um técnico que, desde o princípio de seu trabalho, parece muito mais disposto a usar o clube como uma fugaz vitrine do que em realizar um trabalho sólido e estável. 


O Sevilla sai ganhando por se livrar de Simeone, verdadeiro carrasco do clube como treinador. O Atlético de Madrid é muito forte com ele no comando e, a dia de hoy, inalcançável quanto ao rendimento. O trabalho de Simeone é brilhante e, sem ele, o Atlético seria um rival muito mais possível de ser derrotado.