O que realmente podemos esperar da volta de Hernanes ao São Paulo?

Sabe quando você acorda e pega o celular, ainda coçando os olhos, e se surpreende com tantas mensagens em grupos do Whatsapp? Pois é, a manhã desta quarta-feira foi exatamente assim logo após o anúncio do São Paulo: o profeta Hernanes voltou e ficará no clube por um ano, emprestado pelo Hebei Fortune, da China. Boa notícia? É algo ruim? Um pouco dos dois? Não sei, vamos pensar juntos.



Hernanes foi revelado pelo São Paulo, então podemos dizer que está retornando para casa. Peça fundamental nos títulos brasileiros de 2007 e 2008, atuando de volante e meia, o jogador continuou mais alguns anos no clube até ser vendido para a Lazio. Na Itália, foi bem na equipe romana mas acabou perdendo o ritmo ao ser negociado para Internazionale e, posteriormente, Juventus. Nessa última, teve poucas chances de atuar, mas ganhou títulos e ainda conseguiu vaga na seleção brasileira na última Copa do Mundo. Na China, não atua no time principal desde abril, quando foi tirado por conta do limite de estangeiros presentes no elenco.

É difícil julgarmos melhor porque não vemos o futebol de Hernanes há um bom tempo. Primeiro, por ter amargado a reserva em muitas partidas. Depois, por ter ido à China, um futebol que não temos muito acesso aos jogos de lá. E quando temos, convenhamos, são coisas boas, como golaços e passes bonitos. Logo, muito difícil analisar os últimos anos do ‘Profeta’ como jogador. Mesmo assim, vamos tentar ver o copo meio cheio nos próximos parágrafos.

Jogar na China não tem sido mais algo ruim como foi nos últimos anos. Gil e Renato Augusto continuam constantemente chamados para a seleção brasileira. Jô, atacante do rival, também voltou do país asiático para o Brasil e sofreu com a frase “se estava na China não é bom”, mas está fazendo uma grande temporada. Diego, meia do Flamengo, estava na potente liga turca e continua destruindo nos campos brasileiros. Provas de que o país não altera em nada o talento do jogador, apenas criam polêmicas vazias.

Por ter sido revelado no Tricolor, Hernanes tem grande identificação com o clube. Por aqui, jogou também no Santo André, emprestado por um tempo, mas depois vestiu só a camisa do São Paulo. Neste momento conturbado que o clube vive, é importante ter alguém com bom futebol e que se identifica, mostrando aos demais que a situação atual não é normal para o Tricolor. Pode fazer uma boa parte de incentivador no vestiário, algo positivo para um elenco claramente abatido pelas imagens que temos visto.

Hernanes tem 32 anos. Por aqui, foi volante e meia. Sua posição vai depender de Dorival, claro, mas é esperado que jogue mais avançado, na frente de Jucilei e Petros, realmente como o armador da equipe. Talento sabemos que tem e cansamos de ver suas boas atuações por aqui, não precisamos nem falar mais sobre isso. Minha única preocupação é o físico do atleta, esse sim um problema constante nos últimos anos. Com uma idade mais avançada, é bom que a comissão técnica do Tricolor tenha um cuidado maior com o jogador.

Não sei bem se sua chegada significa definitivamente a venda de Cueva para o futebol turco. Pode apenas levar o peruano novamente para a ponta, posição em que se destacou com a camisa do tricolor. Gómez, recém-chegado, também deve cair pelas pontas agora, diferente da posição mais central que tem exercido nas últimas posições. O setor ofensivo do Tricolor ganha uma nova cara, repaginada e com nomes de respeito. Isso não significa que vai ganhar tudo e conquistar títulos, mas o clube poderia trabalhar para garantir essa formação por um bom tempo.


Gazeta Press
Gazeta Press

Em um momento tão difícil como o atual, a vibração de Hernanes pode ajudar muito o SPFC



Vou optar por escolher o tempo para julgar Hernanes em seu retorno. Não quero me empolgar muito antes mesmo de vê-lo com a camisa tricolor novamente para me decepcionar depois. Também não quero criticar para depois, felizmente, ter a língua queimada. Espero mesmo que ele ajude o São Paulo a sair dessa complicada situação que vive atualmente, mas vou optar pelo alto do muro, confortável e com vista para os dois lados.

O profeta voltou. A festa foi feita. Agora é voltar a vencer, São Paulo, o apelo é esse.