Cícero vira um problema para o São Paulo

No fim do ano passado, o São Paulo anunciou a contratação de Cícero. O volante/meia era um pedido de Rogério Ceni, com quem já tinha trabalho no próprio tricolor em 2012. Naquela ocasião, aliás, o jogador foi alvo de uma polêmica envolvendo o então goleiro e Ney Franco, que treinava o time. Ney pensava em colocar um jogador na partida, mas Rogério Ceni bateu o pé e Cícero entrou como atacante na partida por conta de sua força no jogo aéreo.

Ok, então.

Quando Cícero foi contratado, escrevi aqui sobre a confiança de Rogério nele, mas como a torcida tricolor tinha dúvidas sobre o que o atleta vindo do Fluminense poderia fazer, anda mais após uma temporada bem meia-boca na equipe carioca. A confiança do treinador são-paulino pode tê-lo cegado, talvez até demais, e ele deixou de ver o quão importante seria um jogador com maior participação em campo.

Hoje, Cícero é um reflexo do clube quando está em campo. Sem intensidade, não tem velocidade para atacar ou defender. Na marcação, raramente dá o combate e cerca o adversário de longe, muito longe. Parece em uma eterna preguiça que dá raiva em todos os torcedores. No ataque, ele pouco aparece, principalmente nas jogadas aéreas.


Marcelo Santos/FramePhoto/Gazeta Press
Marcelo Santos/FramePhoto/Gazeta Press

Foto do Cícero só assim, pois em campo ele anda apagado


Do início do ano até aqui, Cícero despencou em qualidade. Poucas são as vezes que ele é notado em campo, principalmente com coisas positivas. A última que o jogador esteve em destaque, por exemplo, foi por conta daquela famosa polêmica envolvendo a prancheta atirada por Rogério Ceni. Isso mostra o quanto Cícero anda apagado dentro das quatro linhas.

Uma das maiores questões é saber se Cícero é volante ou meia. Treinador parece não saber isso e, consequentemente, confunde o jogador. A verdade é que baseado em uma confiança enorme, Rogério foi cegado pela inabilidade do atleta. Um problema que deve ser resolvido com urgência para o Tricolor atuar novamente em nível decente.