O erro do São Paulo foi aceitar o anti-jogo do Cruzeiro no Morumbi

Vamos ser bem francos: o Cruzeiro foi um time covarde e não quis jogar no Morumbi. E antes que alguém me cornete por isso, não é demérito algum, eles podem fazer isso numa boa. Tanto que foi assim que atuaram por 90 minutos dentro do Morumbi e não me espantaria se fizessem exatamente o mesmo na próxima semana, dentro do Mineirão. É o estilo de Mano Menezes, sempre foi e duvido muito que vá mudar no futuro. Ao meu ver, um erro, ainda mais tendo uma boa equipe comandada pelos bons Thiago Neves e Arrascaeta.

O problema do jogo nesta quinta-feira é que o São Paulo aceitou passivamente este anti-jogo do Cruzeiro e foi completamente apático atuando dentro de casa e com mais de 43 mil pessoas nas arquibancadas. Mais uma vez, o time atuou contra uma equipe grande, de Série A, e não demonstrou bom futebol. A partida contra o Santos foi a única decente do clube diante de grandes desafios.

Contra o Cruzeiro, o São Paulo não mostrou uma das suas maiores qualidades: a transição ofensiva rápida. Sem muita noção de como fugir do ferrolho criado pelo adversário, o Tricolor se afundou em jogadas pelo meio, quando poderia facilmente explorar as laterais e abrir espaços na defesa adversária. Luiz Araújo centralizou demais e pouco aparecia para o jogo, parecendo estar fugindo da responsabilidade, enquanto Wellington Nem poderia simplesmente pegar um avião de volta para a Ucrânia e não falaríamos mais sobre nisso.

Com o rival marcando todo no campo de defesa, os zagueiros do São Paulo poderiam facilmente sair jogando, mas aí já não encontravam espaços para achar os volantes ou os atacantes tricolores. Com isso, o Cruzeiro amarrou o jogo e aí precisaria apenas de uma bola para sair satisfeito do Morumbi. Para nossa infelicidade, acharam um gol contra e, sem ele, a partida teria sido 0 a 0. E aí vale dizer que nenhuma das faltas que originaram os gols realmente aconteceu, mas é uma questão que não anula a fraca apresentação do SPFC.


Rubens Chiri / São Paulo FC
Rubens Chiri / São Paulo FC

Apagado de novo, Luiz Araújo já começa a irritar os torcedores são-paulinos


Um adendo: Rogério Ceni ainda não aprendeu a fazer substituições, mesmo com seus muitos cursos no exterior. Poucas realmente mudaram jogos e foram úteis, isso quando não são muito atrasadas. Uma questão que ele precisa repensar.

O maior problema é que muitas equipes vão atuar assim contra o São Paulo dentro do Morumbi e o time não pode ter toda essa passividade. O Corinthians, nosso próximo adversário na semifinal do Paulistão, também deve ser fechar e abdicar de jogar bola aqui. Vai nos dar uma falsa posse de bola e poucas oportunidades, se não soubermos jogar de forma inteligente. Então, no domingo, abrir o placar logo e forçá-los a sair para o jogo é fundamental. 

Para isso não nos preocupar mais, no entanto, o São Paulo terá que ser muito esperto, algo que não aconteceu contra o Cruzeiro.