São Paulo completa uma semana de apagão e pouco futebol

Quando o São Paulo recebeu o ABC no Morumbi, pela Copa do Brasil, o time atuou de maneira impecável. Indo sempre para o ataque, pressionou desde o primeiro minuto e deixou o gramado com a sensação de que poderia ter feito muito mais do que três gols. Dias depois, enfrentaria um clássico e parecia que estaria em boa situação. Na vida, porém, nos enganamos bastante.

No clássico contra o Palmeiras, um irreconhecível Tricolor. Preso na marcação, pouco atacou, deu muitos espaços na defesa e sequer impôs a sua blitz no setor ofensivo. O resultado, mais do que justo, foi uma derrota por 3 a 0, com direito a duas falhas de Denis, pois ele nunca nos decepciona.

Ali parecia ter começado a semana do terror no São Paulo Futebol Clube. Contra o ABC, pelo jogo de volta da Copa do Brasil, levou sufoco nos primeiros minutos e o tradicional gol, pois nossa defesa não falha nunca (mentira, sempre falha mesmo). Mesmo com o jogo mais calmo, o São Paulo pouco rendeu. Modorrento em campo, arrumou o empate, saiu classificado, mas jogou de maneira preguiçosa.

Preguiça? O pior estava por vir.


Gazeta Press
Gazeta Press

Pior que essa cara do Bruno só mesmo o futebol dele


No sábado, contra o Ituano, o pior jogo do Tricolor na temporada. Apático, preguiçoso, sem vontade algum de entrar em campo na chuvosa e fria tarde de março no Morumbi. Se eu fui por sua casa, São Paulo, o mínimo que eu esperava era um pouco de respeito. Envolvido pelo ataque rival desde o apito inicial, o time ainda ficou preso na marcação do Ituano e pouco criou.

A melhor chance do São Paulo foi a jogada do gol. Depois disso, o time sentou na vantagem e se complicou. Sofreu o empate, pois não há jogo sem levar gol, produziu pouquíssimo no ataque e esperou os acréscimos para se lançar com tudo em busca da vitória. Uma partida vergonhosa, bem abaixo do que estamos acostumados pela equipe comandada por Rogério Ceni.

O ataque tem produzido bem pouco nos últimos jogos e finalizado menos ainda. Pratto e Gilberto foram meros coadjuvantes contra Palmeiras e ABC, por exemplo. Luiz Araújo, tão elogiado, caiu de rendimento. E até o inabalável Cueva, que parecia nunca jogar mal, foi discreto contra o Ituano. Os gols, então, sumiram. Apenas dois nas últimas três partidas. Cadê o tal “melhor ataque do Brasil”?

A defesa é um problema que parece incorrigível. O meio do time sumiu. Esperamos apenas que tenha sido uma semana ruim, com azares e se poupando para os jogos complicados que possui pela frente. Nessa brincadeira, porém, o São Paulo se vê precisando vencer de qualquer jeito os jogos finais do Paulistão, porque Linense e Red Bull se aproximaram na tabela.