Por méritos ou desespero, é hora dos garotos do São Paulo

Felipe Espíndola / São Paulo FC
Felipe Espíndola / São Paulo FC

Lucas sofreu com lesões, mas está na hora de buscar o espaço que todos esperam que ele tenha


Nos últimos treinos do São Paulo, Dorival Júnior fez algumas mudanças no time titular. Disposto a buscar opções para resultados melhores, duas trocas chamaram a atenção: Lucas Fernanes e Éder Militão no 11 titular.


A dupla oriunda das categorias de base tricolor substituiu dois gringos: o meia foi escalado no lugar do instável Cueva, que vai brilhando na seleção peruana, enquanto o defensor foi testado na lateral-direita, no lugar de Buffarini.


Os dois foram destaques no treino desta segunda. Enquanto Lucas distribuiu assistências e marcou gol no treino tático, Militão foi um dos destaques na defesa. A atividade, marcada também pela volta de Pratto e pelas ausências dos lesionados Jucilei e Marcos Guilherme, deu sinais de que os garotos podem estar no time titular tricolor diante da Ponte Preta, no próximo sábado.


Seja por méritos ou por necessidade (a.k.a. desespero), é ótimo ver que os dois devem ganhar mais chances. A nada fácil situação são-paulina tem que diminuir os erros o máximo possível, e os dois, mesmo jovens, já mostraram que têm bola para ajudar o time. São apostas que podem fazer a diferença.


Lucas provavelmente seria titular absoluto, não fossem as lesões. Agora com a camisa 11, quero crer que vai agarrar a chance de sua primeira titularidade no ano e nos ajudar a brilhar. Aos 19 anos, tem um dinamismo forte e um toque de bola diferente que, se estamos passando raiva com Cueva, pode nos abrir os olhos para o garoto que tanto brilhou em Cotia.


Já Militão, também com 19, já fez bons jogos como titular. Talvez o momento pese um pouco para o rapaz, que estreou nos profissionais este ano, mas o momento pede alguma alternativa. A maldição na nossa lateral não está ajudando e, se víamos em Araruna uma esperança antes de se machucar, talvez seja o jovem volante/zagueiro que vai nos ajudar a por de vez Buffarini e Bruno no banco. Não dá mais para aguentar.


No conturbado momento do São Paulo é necessário esquecer o medo de queimar alguns jovens e usá-los cada vez mais. Ideal seria dar a eles a chance de jogar sem pressão, mas a situação exige que quem esteja bem tem que jogar, independente da idade ou da experiência. Muito por isso, sou a favor também de dar cada vez mais minutos a Brenner - prefiro, com certeza, ver o garoto do Sub17 tentando jogar a Marcinho ou Denílson, por exemplo.


Diante da Ponte, já teremos provavelmente a estreia de Aderllan no lugar do suspenso Arboleda e talvez Gómez ao lado de Hernanes no 4-1-4-1 de Dorival. Apesar da situação dentro de campo não ser fácil, fora dele a torcida está dando o melhor exemplo positivo do mundo e, tenho certeza, a dupla de garotos só vai receber apoio. Torçamos para que deixem a pressão de lado e brilhem para nos tirar nessa fase. Toda ajuda é pouca e já tentamos quase de tudo. Quem sabe não é Cotia que irá no salvar.


Gazeta Press
Gazeta Press

Buffarini (à direita) chegou balado, mas é o zagueiro/volante de Cotia que vai ter que resolver a lateral pra gente