Em dia de Furacão, Veríssimo e Vanderlei foram heroicos

Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Vanderlei foi fundamental mais uma vez no Santos


O ex-companheiro de ESPN FC, Renato Ribeiro, definiu bem o que foi o Santos na vitória por 1 x 0 diante do Atlético-PR, ontem (10), na Vila Belmiro: o time teve mais sorte do que juízo. Não poderia ter concordado mais com ele. Em todos esses anos nessa indústria vital, não lembro de um adversário dominar o jogo na Vila de tal maneira.


Não sei se o Atlético merecia a classificação, mas merecia ter melhor sorte na partida. No mínimo, era para o Santos ter sofrido dois gols. Foram chances claras. A primeira, Lucas Veríssimo salvou com o ombro. Na segunda, Vanderlei foi espetacular mais uma vez - menos para Tite, que o deixou de fora da seleção mais uma vez.


Siga o autor o Twitter: @fagnermorais


Santos criou muito pouco, enquanto o Atlético se assanhava no ataque. No único contra-ataque certo, em que os jogadores conseguiram trocar mais do que três passes seguidos, Bruno Henrique estava bem posicionado para escorar o cruzamento de Ricardo Oliveira e matar o confronto. Aos 30 minutos do segundo tempo não havia mais chances para o rival. Eu mesmo fiz sinal de acabou, ao passo que acordei a casa inteira e alguns vizinhos com os gritos e murros na porta.


Não era para ter sido assim, mas foi. Santos foi muito pior nesse segundo encontro do que no primeiro. Victor Ferraz não pode ser titular, nem Yuri. Copete é esforçado, porém precisa ter calma para acertar passes simples. Ricardo Oliveira ainda não está no ritmo ideal. Enfim, são muitas pequenas coisas que, transformadas em um time, atrapalham muito o desenvolvimento do jogo. Já Veríssimo, Vanderlei e Lucas Lima foram muito bem, mais uma vez. Os três estão em ótima fase nessa temporada - o meia faz uma Libertadores brilhante.


Caso jogue assim contra o Barcelona-EQU, o Santos não terá a menor chance. Esse time ganhou do ótimo Botafogo no Rio de Janeiro e não empatou com o Palmeiras no tempo normal por conta da trave. Jogadores precisam de descanso e treino para melhorar o desempenho nos jogos. É nítido o esgotamento deles -- foi possível ver isso aos 15 do segundo tempo. Se vai ter que abrir mão de alguma coisa no Campeonato Brasileiro? É o jeito. Não dá para encarar os equatorianos com menos do que 100% da capacidade física de todos.