Primeiro turno do Santos: faltou bola, sobrou empenho

Gazeta Press
Gazeta Press

Levir Culpi mudou o jeito do Santos jogar


O empate sem gols com o Avaí, fora de casa, manteve o Santos na terceira colocação no Campeonato Brasileiro. O jogo foi péssimo, uma tortura em forma de futebol, pior do que colocar ovo estragado direto na frigideira. Se a partida foi péssima, o primeiro turno do time foi muito melhor do que o esperado. São 35 pontos em 19 jogos, uma marca muito boa que supera os 33 do ano passado – foram 24 em 2015 e 26 em 2014, só para citar os últimos.


Um resumo do Santos no primeiro turno desse Campeonato Brasileiro: faltou bola, sobrou empenho. Campanha é muito melhor que o esperado, porque a maioria dos torcedores esperavam um completo desmonte do time após a saída de Dorival. No Santos aconteceu um dos raros fatos de a mudança ser muito positiva em vários aspectos. O elenco ganhou confiança com Levir Culpi.


Siga o autor no Twitter: @fagnermorais


Outro fator foi em campo. Saiu o time "arame liso", que cercava sem fazer mal a ninguém, e entrou um mais agudo e rápido. Apesar de isso gerar pressa em vários momentos – lembrando que pressa é diferente de velocidade –, os jogadores estão bem adaptados ao modo de jogar. Principalmente Bruno Henrique. Mesmo o camisa 27 ter uns dois neurônios a menos, ele é o melhor jogador do time. Ainda falta jogar bem e dominar um jogo do início ao fim, mas todos ali precisavam vencer para espantar um início ruim de competição.


Quem voltou a jogar bem foi Lucas Lima. Ele tem feito mais bons jogos ao longo desse ano do que no último ano e meio, o que é ótimo para ele e para o time. Em jogos como contra o Avaí, ele faz muita falta. Lucas Veríssimo é outro que, além de jogar bem, calou a minha boca ao não se abalar com as pesadas críticas. De longe é zagueiro em melhor fase. E como não destacar Vanderlei, o craque da camisa 1? Ele é o goleiro que ganha pontos – Coritiba e Avaí, só para ficar em exemplos de defesas nos acréscimos.


As campanhas de Corinthians e Grêmio são espetaculares. Em um ano "normal", Santos estaria em primeiro ou em segundo com uma diferença muito pequena para o líder. Calhou de um dos melhores momentos do clube em pontos corridos ser eclipsado por dois ótimos times. Enfim... é a vida. Agora é focar na Libertadores e ir o mais longe possível.