Ainda bem que Kayke é flamenguista

Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Kayke é torcedor do Flamengo. E isso é ótimo


A mais nova polêmica chata da vez envolvendo jogador é a revelação de que Kayke é torcedor do Flamengo. Sim, o atacante que defende o Santos tem um clube de futebol pelo qual ele torce. E que bom que ele tem um time do coração.


Todo mundo que está no meio do futebol começou gostando de um clube. O amor pode não ser o mesmo quando ficamos mais velhos e sabemos mais das coisas, mas não podemos dizer isso de um garoto ou garota de 11, 12 anos. Esses são os verdadeiros torcedores, os que sabem até o número da chuteira do atacante do próprio time e têm tempo livre para assistir a todos os programas sobre futebol disponíveis na TV ao longo do dia.


Siga o autor no Twitter: @fagnermorais


Que bom que Kayke não fez força para esconder essa informação de todo mundo. Ao demonstrar esse lado de torcedor, o atacante mostra se importar quando o time perde. Mais do que nunca, ele sabe que uma eliminação é doída para qualquer um. Mais do que nunca, agora dentro de campo, ele sabe que ter um time de coração não significa ser menos profissional.


Já percebemos que Kayke não é bom e só faz gol no Atlético-PR, mas não significa que ele entra jogando menos contra o Flamengo ou qualquer que seja o time adversário. Ele precisa ser profissional, e o Santos precisa cumprir o compromisso que assinou com ele quando o contratou. E só. Ele não precisa ser hipócrita e beijar o escudo do clube a cada gol ou fazer juras de amor. Quem precisa fazer isso é o jogador que torce pelo clube. Eu esperava essa postura do Thiago Maia, por exemplo, uma cria da casa que estava aí até ontem.


Jogador não precisa ser torcedor para ir bem ou mal em uma partida. Ele precisa ser profissional. Assim como o presidente e conselho precisam ser menos torcedores e mais profissionais na hora de administrar o clube. Vemos resultados péssimos quando a paixão supera o lado profissional, transformando a administração uma verdadeira zona.


Problema não está em Kayke torcer pelo Flamengo, mas cobrarem dele um falso amor pelo clube em que ele trabalha. Ele não precisa amar o Santos. Só precisa fazer gols em outro time que não seja o Atlético-PR.