Derrota no clássico expõe os graves problemas do Santos

Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Lucas Lima pouco fez em mais uma derrota em casa


Não foi dessa vez que o Santos ganhou um clássico no Campeonato Paulista. A derrota de virada por 2 x 1 para o Palmeiras, ontem (19), na Vila Belmiro, coloca um freio na ascensão do time após dias difíceis. É um duro golpe em um time em franca evolução depois do retorno dos titulares, mas, no fim das contas, é bom para expor alguns dos graves defeitos da equipe.


Um deles é não saber controlar o jogo quando está à frente do placar. Uma das mudanças no estilo do time nos últimos meses é a manutenção da posse de bola quando está atacando. Isso é bem legal, porém, precisa fazer isso também quando defende. Ou será sempre assim quando um time de qualidade pressionar? Na hora que o adversário estava com a marcação avançada, praticamente um atacante marcando um defensor, o Santos perdeu a bola todas as vezes. Virou um bate e volta até sofrer dois gols.

Siga o autor no Twitter: @fagnermorais


Não estamos falando de um time de garotos assustados, e sim do atual vice-campeão do Campeonato Brasileiro. Não pode, em hipótese nenhuma, perder o controle do jogo assim. Em casa ou fora, não pode deixar esse tipo de coisa acontecer. É esse tipo de lance que pode fazer uma diferença danada no restante da temporada. E se isso acontece em um jogo decisivo? Seremos eliminados facilmente. Saber controlar o jogo é fundamental, ainda mais em casa.


Outra coisa que não pode acontecer - e já havia ocorrido no jogo passado - é a quantidade de gols perdidos. Se foi um show diante do Strongest, desta vez foi um Lollapalooza inteiro de chances perdidas. De novo, não pode. Não é assim que se ganha um campeonato. Passou da hora de Vitor Bueno virar reserva, enquanto Zeca precisa entrar mais concentrado durante os jogos. Eles são exemplos do que não pode acontecer em um jogo de futebol de alto nível. Torço por eles, mas tudo tem limite.


Um grande problema do futebol em geral é a dependência de resultados. Pode não importar para mim ou alguns outros, mas não passar para próxima fase do Campeonato Paulista vai pesar – caso o atual momento da tabela permaneça até o encerramento da fase de grupos. E sabemos que Dorival será muito pressionado, principalmente por quem só vê os placares dos jogos.
Essas últimas partidas serão decisivas para termos ou não paz na Libertadores. Tudo pode virar um inferno mais uma vez.