Santos: é hora de buscar união entre time e torcida

Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Vitor Bueno abriu o placar na Vila Belmiro


Sempre cobro um bom futebol do Santos, independente da circunstância. Mas, em meio a uma crise e há três jogos sem vencer, fazer 2 x 0 no Botafogo, pelo Campeonato Paulista, neste sábado (25), foi o suficiente para acalmar um pouco as coisas. Porque, já que não rolou jogar bem, vamos colocar três pontos na conta.


Não sei se foi a maratona de jogos dos últimos dias, mas o Santos entrou parecendo que estava nos 35 do segundo tempo. Cansado, o time esteve lento na transição e na movimentação, então acabou sendo presa fácil para a defesa adversária. O empate sem gols na primeira etapa foi reflexo do pouco trabalho que o goleiro Neneca teve. Parecia mais um jogo sem vitória.


Mas só pareceu.


Siga o autor no Twitter: @fagnermorais


Jogadores voltaram um pouco mais ligados depois do intervalo, porém o time melhorou mesmo quando Leandro Donizete deu lugar a Rafael Longuine. O meia entrou e melhorou a saída de bola. E Ricardo Oliveira começou a se movimentar mais do que na primeira etapa, a sair da área para buscar o jogo e dar opção.


Os gols de Vitor Bueno e Longuine dão tranquilidade a Dorival Júnior? Parece que sim, mas ele terá a sombra dos impacientes rodando e esperando o próximo tropeço. Se perder o clássico para o Corinthians, toda pressão voltará a poucos dias da estreia na Libertadores. E seria bem ruim estar próximo de um jogo tão importante em crise.


Gostaria de saber qual o motivo de se importar tanto com o Campeonato Paulista? Eu sei, é muito legal ganhar e comemoro esse título quanto qualquer outro, porém o clube tem coisas mais importantes para mirar nesse ano. Libertadores, Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil deveriam ser as prioridades dos torcedores e da diretoria. Todos deveriam se unir em uma corrente para ajudar o Santos a, enfim, ganhar um título importante depois de algum tempo. Viver de Paulistão seria um desastre, enquanto os outros clubes grandes do Brasil focam em conquistas maiores.


Nessa crise entre parte da torcida e jogadores, peço que todos tenham paciência. Um precisa do outro nesse momento. Se afastar é correr o risco de todos saírem perdendo justamente na hora em que é necessário e fundamental o apoio de todos.