Santos versão 2017 não funcionará sem dedicação

Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Dorival pode e deve cobrar por mais empenho do elenco


O primeiro grande teste para as novidades de Dorival Júnior acabou terminando em derrota para o São Paulo por 3 x 1. Como não poderia deixar de ser, os catastrofistas chegaram apontando problemas e soluções em todos os aspectos do time. O técnico implementou coisas novas no time, então é natural que demore mesmo até tudo funcionar perfeitamente. Mas o que não pode acontecer é falta de dedicação nos 90 minutos de jogo.


No pênalti, Yuri largou o atacante rival na área. Zeca chegou atrasado e cometeu a falta. No segundo gol, só Lucas Veríssimo correu atrás de Luiz Araújo; o resto ficou olhando. No terceiro, Sidão saiu jogando e Cícero recebeu a bola limpa, sem ninguém próximo. São três erros graves de posicionamento para um time que deseja jogar com pressão alta. Porque dá chance ao rival de ter campo. No futebol praticado hoje, ter campo é tudo que você pode querer para si, mas não pode dar ao rival.


Siga o autor no Twitter: @fagnermorais


Aliás, outra coisa que acontece com esse time é a mania horrível de recuar quando faz um gol. Eles treinam a semana inteira para manter a posse de bola e pressionar. No jogo, depois de abrir o placar, tudo vai para o vinagre. Não pode.


Dorival também tem culpa nisso. Não era hora de Leandro Donizete no lugar de Renato, era hora de ser conservador e colocar Léo Cittadini, bem mais adaptado à proposta de jogo. Donizete não consegue acertar um passe de três metros. E substituir Renato é muito para ele, que pode vir a ser útil quando estiver mais adequado ao clube e ao esquema. No momento, não serve.


Outra culpa de Dorival é a demora em fazer substituições. O São Paulo dominou o meio-campo com dez minutos do segundo tempo, então era hora de mexer. Tirar Rodrigão, povoar o meio e colocar um machucado Lucas Lima de falso centroavante. Era hora de confundir o rival, não ficar olhando. E eu não vou falar de Rodrigão de novo, porque é ficar batendo na mesma tecla toda vez.


A comissão técnica está tentando colocar coisas novas no time, o que é sempre bom para evolução de todos. De novo e pela última vez falo isso: concentração é fundamental para atuar como Dorival deseja. Se as falhas grosseiras no clássico acontecerem novamente, ficará claro que tem alguma coisa errada nisso tudo.