Inacreditável e inadmissível: Levir deu rachão no dia em que o Corinthians perdeu

Há uma divisão clara entre comentaristas e torcedores: os que acham que o Corinthians já é campeão e os que acham que é possível que o time paulista perca. Dentre estes segundos, nova segmentação: os que pensam que o Santos é quem tem chances de chegar no rival e os que menosprezam o que entrou na rodada como vice-líder, mas creem que para Grêmio e Palmeiras é possível.


Eu não quero estar com estes últimos. Mas é impossível não se juntar a eles quando, novamente, a notícia é de que o Santos fez rachão um dia antes do duelo contra o Vitória. O Santos fez rachão no dia em que o Corinthians perdeu para o Bahia e, em teoria, fez com que alcançá-lo seja, no mínimo, palpável.


Levir Culpi é uma brincadeira de mau gosto. Uma piada.


Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Levir ri da cara de quem acha que o Santos leva o Brasileiro a sério


Rachão é um crime contra o futebol. Não à toa, o futebol mais decente apresentado pelo Santos nos últimos anos foi no segundo semestre de 2015, quando não havia rachões com Dorival Jr. De resto, dor e sofrimento para o torcedor. E risadas para o elenco que "treina".


Vá ao Google e faça uma busca simples: "Levir Culpi rachão Santos". A primeira notícia é Levir justificando dar rachão no Equador (!), antes da ida da Libertadores (!!), o jogo mais importante do Santos em cinco anos (!!!).


A segunda notícia? Rachão antes do clássico contra o Corinthians. Em seguida, rachão antes do jogo com o Palmeiras. Após isso, aparece David Braz falando que "dá certo" rachão, defendendo o sistema. Típico de um zagueiro que joga com sorte (na vida, já que não pode ser titular de time de Série A).


"Mas o Santos ganhou os clássicos pós-rachão", alguém pode dizer. O que significa, na verdade, é que esse time ao menos tem a vergonha na cara de correr e tentar vencer clássicos. Mas não fez nada contra o Barcelona na Vila por quê? Porque, em vez de treinar opções, deu rachão, jogou com Leandro Donizete, que não havia treinado com os titulares e deu vexame.


Ficou também no empate com um fraco Fluminense no Pacaembu. Empate com o patético Coritiba, penúltimo colocado. Empate com a Ponte, que briga contra a queda. Veja só: um gol a mais em cada um desses jogos e o Santos teria seis pontos a mais. Sabe o que poderia acontecer se ganhasse do Vitória nesta rodada? Diminuiria a vantagem do corinthians para um ponto, e não sete.


Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Foto do rachão de domingo, pré-jogo decisivo: goleiro na linha. Que bacana


Levir Culpi não liga para o Santos. Os jogadores aceitam, acham divertido e não conseguem ganhar jogos fáceis. Lembra quando sonhávamos que Levir chegaria e quebraria a panela? Não, ele só a alimentou.


É por isso que não se pode acreditar nesse Santos. Se o milagre acontecer, é culpa do Corinthians. E da incapacidade de todo o futebol brasileiro.


Vila Belmiro: 100 Anos, 100 Jogos


Muita, muita gente mesmo me procurou e comprou o livro após eu anunciá-lo aqui. Você pode ser o próximo, me chamando no Facebook clicando aqui. E não, não tem rachão no livro. Pois ele é sério.


Divulgação
Divulgação

Só jogo sério, nada de palhaçadinha