Victor Ferraz não pode ser titular do Santos

Como jornalista, aprendi a ser o mais neutro possível. Então, é preciso saber criticar algo/alguém da maneira mais polida possível. Medir palavras para que a pessoa, antes do profissional, não seja ofendida. 


Assim dito, peço desculpas a pessoa Victor Ferraz. Não há nada, mesmo com algumas discordâncias sobre o modo de ver o mundo, que me indique que ele não é uma ótima pessoa. Ele só não pode uma coisa: ser titular da lateral direita do Santos.


Gazeta Press
Gazeta Press

A cara do drama


Na NBA, existe o conceito de jogador experiente que fica no elenco por ser exatamente isso: alguém com tempo na liga, que pode passar dicas para os mais jovens, verdadeiramente bons e que podem produzir com qualidade, enquanto ele, o "velho", não entra em quadra. São caras que ganham salário para ajudar a molecada a crescer não só em termos de talento, mas mentalmente.


O futebol precisa adotar esse conceito. Porque ver um jogador que não produz ofensivamente e não tem noção defensiva, nem em termos de posicionamento nem em termos de desarme, enquanto um jovem que, ao menos no ataque, é capaz de produzir o mínimo que se espera de um lateral - colocar a bola na cabeça do atacante - fica no banco, é triste.


Ferraz, no jogo com o Fluminense, fez um bom resumo do que são suas atuações desde o começo de 2016 (sim, ano passado, não apenas nesta temporada): sobe na hora errada, não vai à linha de fundo, fica parado nas triangulações com o ponta e com o meia, não cruza, não toca para trás para quem chegar posicionado para o chute, não marca, dá espaço para o cruzamento do rival, dá espaço para o chute do rival, volta marcando pelo meio (forçando o volante a cobrir a lateral)... A lista já é longa e pode ir mais longe.


O Santos estava melhor com Daniel Guedes como titular. Curiosamente, quando Ferraz voltou, resultados como os empates com Avaí e Fluminense, modorrentos ao extremo, aconteceram, além da atuação pífia contra o Atlético-PR, na qual a vaga saiu por um milagre - de nome Vanderlei.



Para piorar, a leitura do que acontece em campo por parte de Ferraz é nula. Na última semana, ele falou o seguinte absurdo ao Globo Esporte:


"Eu vejo muito se falar do Vanderlei, que tem salvado nossa equipe com todos os méritos, ele merece todos os elogios. É o melhor goleiro do Brasil. Mas eu preciso valorizar a última linha. A linha de quateo vem fazendo um grande trabalho desde a época do Dorival. Para tomar o mínimo de infiltração possível, deixar o adversário chutar pouco..."


O quê? E as defesas nos pés dos atacantes do Fluminense feitas por Vanderlei? E a bola que ele não conseguiu impedir o chute e tocou a trave? E a quantidade absurda de chutes de longe que Vanderlei pega? Isso é "chutar pouco", "infiltrar pouco"? Imagina se fosse muito, Ferraz. Vanderlei, coitado, não merece isso...