Vanderlei é maior que a seleção. Merece ser canonizado

Se Deus existisse e precisasse orar, para quem ele rezaria?


Gazeta Press
Gazeta Press

Deus olha para os céus e esquece que ele é o próprio e está na terra


É a dúvida que o santista tem quando vê Vanderlei levantar os braços para os céus. Para quem ele reza, já que é o produtor dos milagres, o ser sobre-humano que aceitou se misturar com nós, seres inferiores, só para nos humilhar com seu talento superior?


Chamar de Deus é muito forte? Então que o canonizem. Vire santo. É o mínimo. Abram uma religião nova para idolatrá-lo. Criem uma seita. O cultuem. Aceitem sua doutrinação.


No mesmo dia em que Tite optou por desprezar o melhor jogador do país na dita "seleção", Vanderlei produziu uma quantidade absurda de milagres. Pegou com a mão, com o pé, com a perna, entrando na mente dos atacantes...


Provou que é maior que a seleção. Provou que é o maior. Ponto. Transcendeu.


O que é a seleção perto de um mito? De uma lenda? De um monstro que aterroriza rivais ao mesmo tempo que encanta seus seguidores?


O problema é da seleção. O problema é de Tite. Ele que se vire para ir longe sem o melhor goleiro disponível.


Que Vanderlei se naturalize, ou que vença a Copa sozinho. O que é impossível para ele? Nada.


Santista, ajoelhe, reze, adora, cultue, idolatre, venere Vanderlei. O Santos está nas quartas da Libertadores por causa deste Deus.


*Qualquer hipérbole cometida neste texto tem um quê de emoção pela vaga entre os oito. E um outro quê de ter presenciado Deus in loco.


Gazeta Press
Gazeta Press

Rezai por nós