20 anos de Harry Potter, Santos e uma comparação de paixões

Nesta segunda-feira, 26 de junho, completam-se 20 anos do dia em que Harry Potter e a Pedra Filosofal, primeiro livro da série de JK Rowling, chegou às livrarias. Mudou-se a história da literatura e, também, a da minha vida: melhorou minha infância de maneiras que jamais saberei mensurar.


Como uma pequena homenagem aos meus livros preferidos, resolvi girar a roda da aleatoriedade e comparar alguns dos personagens que chegam aos 20 anos de existência com outra paixão: o Santos. Como Harry Potter, Rony, Hermione e outros podem ser comparados com personagens dos últimos 20 anos de Santos Futebol Clube?


Gazeta Press/Pottermore
Gazeta Press/Pottermore

O personagem principal, o herói da história


Neymar - Harry Potter

Não tenho dúvidas de que o personagem principal do Santos nas duas últimas décadas foi Neymar. Apesar do título do Brasileiro-2002, só ele deu a Libertadores ao clube. Só ele fez o time chegar ao Mundial novamente. Ele foi o grande jogador, o único a entrar na seleção do clube de todos os tempos. Mas, tal como Harry, não necessariamente ele é o personagem favorito dos fãs.


Gazeta Press/Pottermore
Gazeta Press/Pottermore

A grande ideia


Leão - Hermione

Quem leu os livros sabe que, apesar do herói ser Harry, a dona das grandes ideias era Hermione. E quem teve a grande ideia do Santos nos últimos anos? Leão. Em 2002, o técnico que resolveu bancar Diego, Robinho e mais um monte de meninos. O final todos conhecem.


Gazeta Press/Pottermore
Gazeta Press/Pottermore

Todo grande time começa com um grande goleiro, dizem


Fábio Costa - Rony

O melhor amigo de Harry era um grande goleiro! Ele foi o arqueiro do time da Grifinória de quadribol e tem uma de suas atuações narradas no livro como um épico. Qual a atuação épica de um goleiro santista nesse período? Fábio Costa em 2002. O jogo? Aquele que valeu um certo título nacional.


Gazeta Press/Pottermore
Gazeta Press/Pottermore

O dono das grandes ideias


Laor - Dumbledore

O grande mago que conseguiu manter Neymar por mais alguns anos na Vila, tal como o grande mago que, apesar de suas ideias nada ortodoxas, manteve Harry e cia. vivos.


Gazeta Press/Pottermore
Gazeta Press/Pottermore

O padrinho, o mentor


Robinho - Sirius Black

Robinho foi o grande personagem de 2002, é claro, tal como Sirius foi importante em seu passado jovem. Mas, quando voltaram, Robinho em 2010 e Sirius quando Harry estava na escola, ambos foram grandes mentores de personagens que acabariam muito maiores que os próprios.


Gazeta Press/Pottermore
Gazeta Press/Pottermore

O verdadeiro líder


Diego - Neville Longbottom

A história diz que Harry foi o herói. A história é narrada com Harry sendo o herói. Mas, fora das páginas dos livros, se descobre no final que Neville Longbottom agia de maneira tão ou mais especial que seu parceiro para derrotar Voldemort. Tal qual a história diz que Robinho foi o melhor jogador do Santos em 2002, quando Diego é que merece tal nomenclatura.


Gazeta Press/Pottermore
Gazeta Press/Pottermore

Há como gostar? Não há


Muricy Ramalho - Snape

Não adianta: todos podem concordar que Snape ajudou a salvar Harry, que colocou sua fama no lixo ao fingir ser uma péssima pessoa para esconder sua face real, mas a verdade é que todos que leram os livros detestam o professor. Assim como Muricy Ramalho: que santista gosta dele, mesmo com o professor comandando o título da Libertadores-2011? A memória do time que não tinha tática, que não treinava e que tocava para Neymar e rezava para acontecer algo é mais forte.


Gazeta Press/Pottermore
Gazeta Press/Pottermore

O que ninguém suporta


Odílio Rodrigues - Voldemort

Gostar de dirigente é algo complicado. Desgostar é muito fácil. Mas unir todas as tribos e ter um nome unânime como o pior que passou pelo clube é mérito para poucos: Odílio Rodrigues, presidente do Santos pós-Laor, é tão vilão para a torcida santista como Voldemort é para os fãs de Harry Potter.


Gazeta Press/Pottermore
Gazeta Press/Pottermore

O que todos amam


Giovanni - Rúbeo Hagrid

Grandalhão, desajeitado, mas amado por todos por seu coração gigante. 


Gazeta Press/Pottermore
Gazeta Press/Pottermore

A primeira paixão


Meninos da Vila - Cho Chang

O pimeiro amor da vida de Harry foi Cho. Tal qual os Meninos da Vila, ela chegou, fez o coração do garoto se apaixonar e, no fim, foi embora, porque é isso que toda revelação no Brasil faz. Dificilmente volta, mas fica a memória, a lembrança, o carinho.