Por que o Santos de Neymar 'sofria' contra o Palmeiras?

Santos, 18/3/17, 18h. Chove muito, a rua está alagada, não há o que se fazer na cidade - se você conseguir sair de casa. Sozinho em uma tarde monótona, esperando que chegue o domingo de clássico, olho pela janela do meu quarto e penso sobre algo que atormenta a humanidade desde o começo da década:


"Por que o Santos de Neymar 'sofria' contra o Palmeiras?"


Gazeta Press
Gazeta Press

Dos mistérios da humanidade: Neymar e cia tropeçavam contra o Palmeiras e, basicamente, só contra o Palmeiras


Com isso em mente e sabendo que o Santos não perde na Vila Belmiro para o rival desde 2011, fui pesquisar para descobrir se essa lenda é real. E, bem, até que é. Vamos lá: o Santos ficou do meio de 2009 ao final de 2011 (ou seja, o auge de Neymar) sem bater o rival.


Mas aquele time ganhou uma sequência de taças. Como isso era possível? Bom, criou-se a famosa história contada entre os santistas de que, para conquistar um título, era até ótimo sinal perder para o Palmeiras. Veja: perdeu em março de 2010, ganhou o Paulista em seguida. Perdeu em julho de 2010, levou a Copa do Brasil dias depois. Derrota em abril de 2011, título do Paulista. Derrota em julho de 2011... Título da Libertadores nem 20 dias antes. Outro revés em fevereiro de 2012 e... Isso mesmo, tri do Paulista.


Adivinha qual foi o resultado antes do Mundial de Clubes e a derrota para o Barcelona? Sim, vitória sobre o Palmeiras, 1 a 0. Deu azar? Talvez. A lenda prega que sim.


Mas os anos passam e a memória costuma guardar as coisas de forma afetiva. Então talvez esqueçamos dessas derrotas. Mas como o retrospecto fica, resolvi partir para a segunda parte da pesquisa: por que os tropeços foram constantes? Jogo a jogo, tento explicar:


Santos 1 x 3 Palmeiras - 4/10/2009
O time do Santos foi a campo na Vila com Felipe, George Lucas, Fabão (Astorga), Eli Sabiá, Triguinho, Pará (Felipe Azevedo), Rodrigo Souto, Germano, Madson, Neymar e Kléber Pereira. Bom, a explicação é essa.


Santos 3 x 4 Palmeiras - 14/3/2010
Pará fez gol de cobertura (!), Madson marcou e imitou um porco, o Santos abriu 2 a 0, estava invicto havia 12 partidas... E mesmo assim perdeu no famoso dia do 'Armeration'. Como? Bom, poderia justificar com um apagão (um abraço, Scolari), mas não acho correto. É possível dizer, porém, que quando o jogo ficou 3 a 3, Neymar foi expulso e uma defesa formada por Maranhão e Pará nas laterais não era exatamente a mais segura. Talvez, com Neymar em campo e a bola no ataque, o resultado teria sido melhor.


Santos 1 x 2 Palmeiras - 15/7/2010 
O futebol parou no país no começo de junho para a Copa do Mundo. O Santos já havia sido campeão do Paulista e esperava a decisão da Copa do Brasil contra o Vitória. O primeiro jogo após a volta foi exatamente o duelo com o rival e a derrota ocorreu no Pacaembu. Com o time focado na decisão e sem ritmo de jogo, enquanto o Palmeiras estava só um ponto acima da zona de rebaixamento e tinha acabado de contratar Scolari, é até fácil entender como a derrota ocorreu. É válido lembrar que o time fez um Brasileiro sem brilho após a taça da Copa nacional, criando as saudades que até hoje existem em relação ao time do 1° semestre.


Santos 1 x 1 Palmeiras - 2/10/2010
Com o time só esperando o ano acabar e já pensando em Libertadores, mais um jogo em que os pés não entraram tão fortes assim.


Santos 0 x 1 Palmeiras - 3/4/2011
A fase era péssima: o time tinha apenas dois pontos após três rodadas na Libertadores e, três dias depois, tinha jogo de vida ou morte contra o Colo Colo - no qual, se não ganhasse, estaria eliminado da Copa por antecipação. Com o foco mudado, o Palmeiras aproveitou para vencer pela última vez na Vila desde então.


Ricardo Saibun/Santos FC
Ricardo Saibun/Santos FC

Caso você não lembre: este é Rychely


Santos 0 x 3 Palmeiras - 10/7/2011
A taça da Libertadores havia sido conquistada 18 dias antes. Neymar não jogou no Pacaembu, assim como Ganso. Jogaram, porém, Rychely, Diogo, Possebom, Roger Gaúcho e Tiago Alves. Creio que isso explique tudo.


Ou seja: há como justificar cada um dos tropeços contra o rival. E, se lembramos, essa sequência existiu, mas Neymar eliminou o Palmeiras nas semis do Paulista de 2009 e ganhou os dois jogos do Brasileirro de 2012.


Mas a lenda existe: se um dia você se perguntar novamente "Por que o Santos de Neymar não ganhava do Palmeiras?", apenas lembre: porque isso dava sorte. Certas lendas são divertidas.