De Ricardo Bueno aos banheiros do Arruda: 9 notas sobre o Santinha

CoralNet
CoralNet

Santa foi buscar Ricardo Bueno, que entrou e garantiu a vitória contra o Guarani. Foto: CoralNet


Buenos dias, amigos e amigas corais!

Já que o tempo entre uma rodada e outra da Série B é mais minguado que a integridade do Governo Temer, vamos direto ao assunto.


Apesar das Eutropicadas, o Santa venceu o Guarani. Nas coxas, é verdade, como vimos na maiorias dos jogos na temporada, mas se manteve com 100% de aproveitamento na Série B.


Temos alguns motivos a comemorar e uma série de problemas a resolver. E como os dois gols tricolores tiveram a participação do número 9, listei abaixo o mesmo número de comentários sobre o Santinha, para irmos um pouco além no debate sobre o clube.


1) Ricardo Bueno


Vamos começar com o pé direito. Falando do gol que selou a vitória contra o Bugre. Antes que venham dizer: "Ah, mas o cara chegou agora e já é Deus...?!" Não. Não é isso. No entanto, podemos analisar a contratação do atacante por trás apenas dos 15 minutos da estreia.


Depois de jogar o Paulistão pelo São Bento (5 gols em 11 jogos), Bueno acertou tudo com o mesmo Guarani e já estava de malas prontas para Campinas. Com a falta de rendimento de Julio Milk Sheik, as lesões de Parra, e Pitbull fora de combate há 15 dias, o Santa Cruz se viu obrigado a deixar a condição de menino bonzinho, que não dá um peteleco em ninguém, para ser mais agressivo no mercado.


Deu uma laminha a mais de salário e o jogador veio parar o Arruda. A opção pela experiência deu resultado. O camisa 99 entrou na fogueira, mesmo vindo de um mês de inatividade. Saiu da área para buscar o jogo, ainda meio atrapalhado, chamou a marcação e se posicionou bem para aproveitar o cruzamento de Tiago Costa e fuzilar de cabeça para o gol. 


Vale lembrar que durante a semana, Eutrópio cogitou escalar o zagueiro Jaime no ataque, porque não tinha opções. Alessandro, da base, que se destacou na Copinha, não é melhor que um zagueiro que não sabe nem correr direito? Fica a dúvida... Que Ricardo reecontre seu melhor futebol no Tricolor e provoque muitos arremessos de cerveja no Arruda. E que o lampejo da diretoria ao trazê-lo se repita nas outras posições carentes do time.


2) Pitbull


Gazeta Press
Gazeta Press


Vem cá, aqueles que criticam Pitbull têm o que na cabeça? Devem ser o mesmos que reclamavam de Grafite. O artilheiro do Santa Cruz no ano só precisa receber em condições de marcar. É o mínimo para qualquer 9 ser efetivo.


Se sacrifica, sem receber um lançamento decente de Barbio e Éverton Santos durante o jogo. Tem que sair da área ou ir para beirada e o faz com qualidade. Pitbull é bola, porra!  


Curta o Arrudiando no Facebook!


3) André Luís


Com a lesão de Vitor, o garoto assumiu o posto de jogador mais regular do time coral. André vai para cima dos zagueiros, volta muito para marcar, briga e está em franca evolução. Já foi camisa 9 quando Zé Carlos deu o pitú. Já foi ponta. E contra o Guarani atuou mais centralizado, num 4-2-4. Deu um passe lindo de calcanhar na jogada do primeiro gol. O menino é titular absoluto!


4) Nininho


Divulgação/SCFC
Divulgação/SCFC


Quando ele pega na bola a turma faz a festa na arquibancada! Resenha à parte, Nininho tá quebrando o galho na direita, apoiou bem, inclusive fazendo a jogada do gol de Pitbull, mas sabemos que o posicionamento na linha defensiva ainda deixa bastante a desejar.


Precisamos de alguém mais sólido para preencher a lacuna deixada pelo capitão Vitor.  


5) Thomas


Gazeta Press
Gazeta Press


Tem coisas que só acontecem no Santa Cruz. E só no Santinha para o cara vender a alma ao Satanás e continuar sendo relacionado (e até entrando no segundo tempo contra o Náutico, com direito a deboche para a torcida). 


Precisou passarem 10 dias para as pessoas do clube perceberem o que a torcida já tinha determinado: não faz sentido nenhum Thomas ser opção para mais nada. Culpa do contrato bizarro se encerrando em maio, feito pela diretoria. Contrata como aposta, para recuperar o cara. Aí ele dá certo e vaza para o rival. Parabéns.


6) Rombo Financeiro


Cada vez que tomo mais conhecimento do absurdo administrativo e financeiro que acontece no Santa Cruz, mais acredito que esse clube deve ter alguma coisa muito especial para seguir em frente sem colapsar por completo.


Veja bem, existem funcionários trabalhando no Arruda que receberam dois salários nos últimos 10 meses. DOIS salários em quase um ano de serviços prestados.


Mesmo com todo o amor pelo Santinha, ninguém consegue viver muito tempo nessa situação. Alguma coisa precisa ser feita urgentemente. Essas pessoas precisam de dignidade e condições de prestarem o melhor serviço possível para o clube. Não sei como Alírio e outros tricolores influentes conseguem dormir estando cientes disso.


A TORCIDA EXIGE RESPEITO COM OS FUNCIONÁRIOS DO SANTA CRUZ!


7) Estúdio pra quem, quando falta banheiro?


Mesmo com a vergonhosa situação da folha de pagamento e as condições estruturais do Mundão do Arruda que todos já estão mijados cansados de saber, a diretoria de patrimônio, encabeçada por Antônio Luiz Neto, decide jogar dinheiro fora. Não queremos Arena Gourmetizada de jeito nenhum, mas pobre também tem direito de ser limpinho. Pra quem é homem, ainda dá para se virar pulando de poça em poça. Mas e os banheiros femininos? Se falta papel no vestiário do time visitante, imagine para as tricolores. Elas precisam contar com ações como a do Movimento Coralinas, de resistência feminina, que colocou uma caixinha com rolos para ajudar na hora do aperto.


Qual a necessidade de construir, agora, um estúdio de rádio/TV no valor R$ 100 mil reais com tantas necessidades que deveriam ser priorizadas? A medida, mostra que os caciques estão rachados. E racha, num clube frágil administrativamente, já sabemos que não é bom negócio.   


8) Time não inspira confiança


Gazeta Press
Gazeta Press


Apesar do bom começo de Série B, o time continua com o mesmo ranço que causou as eliminações na Copa do Nordeste e no Pernambucano. A equipe não cria, nem consegue envolver o adversário por mais fraco que seja. Os jogos do Santa Cruz são feios de se assistir. A verdade é essa.


Eutrópio ainda vem dizer na coletiva que a vitória foi com a cara do Santa Cruz. A cara que o torcedor quer ver é de um time consciente, que tem padrão de jogo e consegue se impor numa competição que tem a obrigação de brigar nas cabeças.

O conformismo de Eutrópio chega a ser vergonhoso. Foi assim, se contentando com vencer de qualquer forma, sem jogar futebol, que as taças do primeiro semestre foram pelo ralo. Precisamos de mais reforços e de uma postura que condiza com a força do clube.


9) Novos uniformes


Para encerrar falando de coisa boa, aí vai mais um destaque para os novos uniformes do Santinha com a marca Cobra Cobral estampada sob confecção da cearense Bomache.


A torcida chegou junto e as camisas tão vendendo mais que latão no carnaval. Antes e depois do jogo contra o Guarani a loja oficial da sede estava abarrotada de torcedores. Assistindo ao jogo da arquibancada, a camisa com listras verticais na medida certa de distância entre o preto, o branco e o vermelho dá uma nostalgia massa em quem já frequenta o Arruda há algum tempo.


Tô só esperando mês que vem chegar e o bordado pingar na conta pra sair com o novo manto.

Saudações tricolores, #DiretasJÁ e vai ter bandeira tricolor SIM nas ruas! Vamos à luta.