Samp 3-2 Sassuolo. Quando as pernas não respondem mais

- Não dá mais pra eles.


Ele falou para o goleiro enquanto abaixava o meião direito até a canela.


- Trinta e nove do segundo tempo e tá dois a zero pra gente. Se na temporada não fizeram três gols numa mesma partida até agora, não vai ser hoje. Quinze dias sem entrar em campo, tá todo mundo estafado, o jogo não flui, tâmo fechadinho aqui atrás e as pernas deles já não respondem mais. Agora é levar a partida em banho-maria e pedir pro juiz dar pouco acréscimo. Quarenta e seis, eu caio com cãimbras e tá mais que bom. Ele acaba logo com isso e vamos pra casa. Antes mesmo do apito final o estádio vai emudecer e ficar vazio.


Ledo engado. A arquibancada não se calou.


Gol do Ricci aos 64’. Um a zero Sassuolo. E o estádio não se calou. Ragusa entrou pela área e chutou cruzado. Dois a zero e, mesmo assim, aos 74’, o estádio não se calou.


O time da Sampdoria tem potencial, mas ainda é frágil, pra não dizer fraco. Ainda não desperta nos mais céticos, como eu, aquela esperança de estarmos vendo um time forte e seguro em formação. Mas tem a camisa. E tem a torcida. Mesmo em desvantagem e no frio intenso que começa a dar suas caras no norte da Itália, os torcedores não arredaram o pé do Luigi Ferraris.


Pois a Samp virou a partida nos cinco minutos finais. Quagliarella e Muriel botaram abaixo o Marassi e ainda incrédulos do que haviam vivenciado não foram agradecer o treinador, muito menos o presidente. Os atacantes foram abraçar a torcida, grande responsável pelos três pontos. Eles sabiam que algo transcendental aconteceu ali. Giampaolo se disse transportado para uma outra dimensão e classificou como mágico o que viu naqueles seis minutos finais de jogo.


Facebook/Sampdoria
Facebook/Sampdoria

'O time junto com a torcida foi transportado a uma outra dimensão. Era pura adrenalina, parecia algo mágico'


Não quero desmerecer os jogadores em campo, eles têm seus méritos, e se você é racional e acha que futebol é puramente tático vai me achar um babaca, mas a Sampdoria só existe graças aos espasmos provocado pela torcida.


É justamente quando as pernas não respondem mais que a torcida no estádio faz o time caminhar. O último fôlego vira sempre o penúltimo quando você não se sente sozinho e a esperança nunca cessa. Atrás do gol sul, independente do resultado, jogador blucerchiato, você pode ter certeza que bandeiras continuarão a tremular.


sampdoria.it
sampdoria.it

3 pontos, graças à torcida blucechiata


A Sampdoria tem sofrido há anos com presidentes que a tratam como um brinquedo qualquer e é graças à torcida, somente a torcida, que o clube respira. Tínhamos tudo pra ser um Reggiana, Cremonese ou Como da vida. Não somos porque o clube é carregado em romaria pelos ombros sofridos dos torcedores blucerchiati. Os seis minutos de domingo foram apenas uma pílula do que pode acontecer se jogadores e torcida equalizarem suas energias. You’ll Never Walk Alone.


Sempre vai dar pra gente.


É bom que os adversários saibam disso. Vitórias como a de domingo fortalece o time e suas aspirações em um campeonato. Enquanto houver jogo, não vamos nos calar. O 3-2 contra o Sassuolo é a prova cabal de que torcida ganha jogo, mesmo que as pernas dos seus jogadores não respondam mais.



 Estatísticas da partida


Sampdoria 3
Sassuolo 2

Reti: s.t. 18′ Ricci, 29′ Ragusa, 39′ Quagliarella, 41′ Muriel, 46′ Muriel rig.

Sampdoria (4-3-1-2): Puggioni; Sala (43′ s.t. Pereira), Silvestre, Skriniar, Regini; Barreto (25′ s.t. Praet), Torreira, Linetty; Fernandes (33′ s.t. Schick); Quagliarella, Muriel.
A disposizione: Tozzo, Dodô, Eramo, Alvarez, Krajnc, Palombo, Cigarini, Djuricic, Budimir.
Allenatore: Marco Giampaolo.

Sassuolo (4-3-3): Consigli; Gazzola, Antei, Acerbi, Peluso; Mazzitelli, Missiroli (16′ s.t. Magnanelli), Pellegrini; Ricci, Defrel (30′ s.t. Matri), Ragusa (37′ s.t. Adjapong).
A disposizione: Pomini, Pegolo, Iemmello, Marin, Pierini, Lirola, Terranova, Cannavaro, Dell’Orco.
Allenatore: Eusebio Di Francesco.

Arbitro: Doveri di Roma 1.
Assistenti: Tonolini di Milano e Alassio di Imperia.
Quarto ufficiale: Vuoto di Livorno.
Arbitri addizionali: Damato di Barletta e Pasqua di Tivoli.

Note: al 17′ p.t. Sala, al 21′ p.t. Antei, al 29′ p.t. Skriniar, al 7′ s.t. Silvestre, all’8′ s.t. Missiroli, al 17′ s.t. Peluso, al 31′ s.t. Torreira per gioco scorretto; recupero 1′ p.t. e 4′ s.t.; abbonati 16.789 (rateo 164.806 euro); paganti 3.263 (incasso 32.201 euro); terreno di gioco in buone condizioni.