Neymar seria o herdeiro perfeito de CR7 no Real Madrid

Ainda longe da próxima janela de verão europeia, a primeira especulação mais forte já tem nome no Real Madrid: Neymar. A má fase da equipe – principalmente no ataque – é um prato cheio para a boataria que corre solta com o nome do clube. O craque da Seleção é outro a sofrer com um festival de informações duvidosas a respeito de seu dia-a-dia no Paris Saint-Germain – todas desmentidas por ele.


Só saberemos o andamento dessa história em meados de 2018, mas não custa lembrar que a transferência do brasileiro para o futebol francês parecia bem distante da realidade até, de fato, ocorrer. Uma operação desse porte – que poderia chegar aos 450 milhões de euros – marcaria um desvio na trajetória que Florentino Pérez e diretoria vêm percorrendo desde a janela de 2015/16, quando o foco no mercado passou a ser em jovens jogadores de grande potencial. Abrir uma exceção por Neymar, porém, valeria totalmente a pena.


Getty Images
Getty Images

Passagem de bastão?


Os últimos “galácticos” contratados foram Toni Kroos e James Rodríguez, em 2014/15, apesar das características especiais. O alemão tinha 24 anos e estava em alta pelo título da Copa do Mundo, mas o contrato perto do fim com o Bayern levou o Real Madrid a comprá-lo pela pechincha de 25 milhões de euros. Já o colombiano, então com 23 anos, havia recém-conquistado a artilharia do Mundial e feito ótima temporada pelo Monaco. Custou 75 milhões de euros.


Desde então, a aquisição mais cara foi a de Vinícius Júnior, por quem o clube pagou ao Flamengo 45 milhões de euros para contar com a joia a partir de 2018/19, quando atinge a maioridade. Dado o contexto, é difícil imaginar que uma medida tão drástica como a contratação de Neymar ocorra, e também há de se levar em conta o outro lado da história: o PSG investiu, há três meses, 222 milhões de euros em seu futebol.


Uma temporada de insucessos para ambos, entretanto, aliada a um ano de decepções do Real Madrid, poderia motivar a diretoria madridista a dar esse passo que elevaria o elenco a outro patamar. Caso não aconteça em 2018/19, ainda haveria a opção de uma investida em 2019/20, de acordo com o Marca.


Getty Images
Getty Images

Neymar terá 26 anos em 2018, com muito tempo em altíssimo nível pela frente


Na última janela, Kilyan Mbappé – agora companheiro de Neymar – era o principal alvo para atender à demanda de futuro jogador-franquia do clube, uma vez que Cristiano Ronaldo deve ter apenas duas ou três temporadas a mais no nível com o qual estamos acostumados. A ida de Mbappé ao PSG frustrou os planos. Do projeto com Gareth Bale no clube, nem se fala. A fragilidade física impede o atleta de alçar voos maiores.


Dentre as contratações possíveis, o brasileiro é, de longe, a melhor opção para ocupar esse posto, além de solucionar o problema de gols que o time apresenta neste primeiro semestre de 2017/18. O retorno técnico seria imediato, sem problemas de adaptação em uma liga na qual Neymar atuou por quatro temporadas. Ele teria, à sua disposição, um meio-campo que gera diversas oportunidades até em dias ruins. Fora das quatro linhas, um treinador e gestor de grupo capaz de moldar uma mentalidade individual que ainda passa por oscilações.


Se no futebol o craque ainda não atingiu o patamar de Cristiano Ronaldo e Messi, a situação muda de figura quando analisamos o impacto midiático. Esse é mais um dos fatores que o encaixa com perfeição na linha sucessória de CR7 no Santiago Bernabéu.


Sobre a passagem pelo Barcelona, a saída para o PSG deixou bem clara a efemeridade da conexão que ele mantinha com os vulneráveis valors culés. E o interesse madridista por Neymar já é antigo. O jogador só não saiu do Santos direto para o Real Madrid por conta da obscura negociação com os catalães.