Empate com Tottenham é marcado por atuações abaixo da média de atletas que costumam se destacar

É em noites de Champions League que o Real Madrid, normalmente, mostra o seu poderio. Mas dessa vez, contra o Tottenham, não foi isso que aconteceu. O time de Zidane até poderia ter saído com a vitória, mas ficou apenas no empate com o pênalti convertido por Cristiano Ronaldo (Varane, contra, havia aberto o marcador para os ingleses). Mas o que mais chamou atenção, e de forma negativa, foi a atuação de alguns atletas que quase sempre são destaques durante os jogos.


Getty Images
Getty Images

Cristiano e o gol têm uma relação de amor eterna


É bem verdade que o começo de temporada do time não está dos mais sortudos. E aqui me refiro, principalmente, a fatores extracampo. Cristiano Ronaldo ficou suspenso nos primeiros jogos após uma injusta expulsão na Supercopa da Espanha; Gareth Bale, que parecia começar a engrenar boas atuações, sofreu mais uma lesão e está fora da equipe; Benzema, que está numa maré de azar terrível, também se machucou e, até esse último confronto, ainda não havia atuado ao lado do português. Além deles, outros jogadores já ficaram de fora de partidas, seja por lesão ou suspensão.


Apesar disso tudo, o time vem bem na Champions League, tendo conquistado boas vitórias contra APOEL Nicosia e Borussia Dortmund, e dividia a liderança do grupo H com o Tottenham. O confronto, então, poderia servir para isolar um dos times na liderança.


Outro duelo esperado estava no setor ofensivo das duas equipes. Cristiano Ronaldo e Harry Kane são dois dos melhores atacantes do futebol mundial e a atual fase do inglês o coloca como uma arma perigosíssima para os ingleses. Não por acaso a jogada que resultou no gol contra de Varane tinha o jogador dos Spurs envolvido e muitos acharam que o gol havia sido dele, o que só mudou alguns replays e da confirmação de gol contra pela UEFA. Cristiano fez o gol do Real Madrid e, no geral, ambos tiveram uma excelente atuação, sempre chegando com muito perigo ao gol adversário.


Getty Images
Getty Images

Será que Florentino fará mesmo com que sejam parceiros?


O português foi superior no duelo e quase virou para os merengues algumas vezes, mas sempre esbarrou na competente atuação de Hugo Lloris. Os goleiros, inclusive, foram os grandes destaques da partida. Além do já citado francês, Keylor Navas salvou a pátria do Real Madrid em algumas ocasiões, mostrando grande reflexo, velocidade e capacidade de recuperação nos lances. E, ainda assim, tem quem não o considere um dos melhores da posição no mundo.


O surpreendente desse jogo, apesar das boas chances do Tottenham, é que o Real Madrid criou mais, dominou mais, teve mais posse de bola... E não conseguiu concretizá-las e sair com a vitória. Benzema até começou bem, cumprindo bem seu papel tático e trocando bastante com Cristiano Ronaldo, mas na hora de decidir e colocar a bola pra dentro, falhou. E no meio, onde o time de Zidane tem tido os seus maiores destaques, as coisas não funcionaram tão bem. Isco e Kroos estavam bem abaixo do que costumam render. O espanhol até tentou algumas jogadas e passes rápidos que são sua característica, mas estava longe do ideal. E o alemão, que tem na precisão dos passes o seu grande trunfo, definitivamente não estava numa boa noite - mas mostrou oportunismo ao invadir a área dos ingleses e sofrer o pênalti que resultou no empate. Casemiro e Modric fizeram uma partida apenas ok, o que, para jogadores da sua grandeza, também não é o desejado.


Getty Images
Getty Images

Nada tema, pois, com o Super Keylor, não há problema


Na defesa, outro que é sempre um leão em campo e tem excelentes atuações estava abaixo do normal: Marcelo. O lateral esquerdo brasileiro, que voltava de lesão, errou muitos passes, falhou na marcação e não ajudou o ataque com a constância e qualidade que sempre exibe. A parceria que sempre mantém com Cristiano Ronaldo não foi nem sombra do que costuma ser e isso prejudicou muito a parte ofensiva do Real Madrid, que tem no lado esquerdo uma arma muito forte. Mas vale destacar o outro lateral, Achraf Hakimi, que vem substituindo Dani Carvajal com maestria, sem sentir o peso de vestir a camisa do time profissional.


No fim, o que se viu foi um bom jogo, divertido, que deu alguns sustos na torcida merengue. E também ficou a certeza de que o Real Madrid tinha amplas condições de sair vencedor se a maioria de seus jogadores estivessem inspirados. E essa inspiração precisa voltar com urgência, porque os campeonatos não vão esperar e, se as coisas não mudarem, os comandados de Zidane podem ver a temporada ir por água abaixo antes do que imaginam.



Siga Rodrigo Rebelo no Twitter | Siga o Conexão Merengue no Twitter | Curta o Conexão Merengue | Curta o ESPN FC