Regido por Isco, o Real Madrid enfim 'estreia' no Campeonato Espanhol

Ao que tudo indica, o Real Madrid não entrará em campo neste começo de temporada sem uma grande pressão sobre suas costas. Não bastassem os tropeços em casa nas primeiras rodadas da LaLiga, dessa vez o componente político também falava alto, já que a mais de 600 km de distância, na Catalunha, acontecia o referendo para tentar tornar a região independente do restante da Espanha.


O time merengue não se envolveu diretamente em nenhum aspecto de toda essa história. A diretoria se mantém afastada da polêmica e os jogadores não se manifestaram. Mas é claro que, por ser o maior clube do país e da capital - a região com maior interesse em manter a Catalunha como território espanhol -, o nacionalismo fez-se presente nas manifestações da torcida, que a todo momento tremulava bandeiras da Espanha numa forma de reforçar o orgulho nacional.


Getty Images
Getty Images

O amarelo e o vermelho se misturaram ao tradicional branco


Mas dentro das quatro linhas nada disso importava, e o Real Madrid já tinha problemas o suficiente para se preocupar. Além do já lesionado Benzema, outras duas baixas foram confirmadas: Gareth Bale e Dani Carvajal não iriam para a partida. Em seus lugares, um apagado Marco Asensio e um surpreendente Achraf Hakimi foram os titulares. O jovem, nascido em Madrid mas que defende o Marrocos (terra natal de seus pais), mostrou personalidade e assumiu sem maiores problemas a responsabilidade de substituir um dos melhores laterais direitos do futebol mundial.


E quem pensava que o retrospecto amplamente favorável dos merengues no Santiago Bernabéu contra o Espanyol seria sinônimo de jogo fácil e muitos gols, enganou-se completamente. O time catalão aguentou como pôde a enorme pressão no primeiro tempo e, não fosse pelo goleiro Pau López, teria terminado a primeira etapa com alguns gols na conta, mas, ao invés disso, o placar só foi mexido uma vez, e por aquele que foi o grande nome da partida: Isco Alarcón.


Getty Images
Getty Images

Não precisa agradecer, a casa é sua


O meia, mais uma vez, teve uma excelente atuação e guiou o Real Madrid pelo caminho da vitória. Além de duas chances claras no começo da partida, o malaguenho ainda protagonizou belas jogadas no meio campo, com dribles curtos e passes precisos que mais pareciam passes de mágica. No lance do gol, um fato curioso: Cristiano Ronaldo, que normalmente recebe os passes e manda para o fundo das redes, foi o autor de um belo lançamento para Isco, que tocou de bico, na saída do goleiro, para abrir o marcador.


Na segunda etapa o Real Madrid desacelerou e chegou a tomar um certo sufoco do Espanyol, mas nada que Keylor Navas e a defesa merengue não pudessem afastar - ainda que Sergio Ramos tenha cometido duas falhas bisonhas que poderiam ter colocado tudo a perder. Por sorte, Varane e Nacho estavam lá para consertar as pataquadas cometidas pelo capitão.


E se atrás as coisas iam bem, não se pode dizer o mesmo do ataque. Cristiano Ronaldo, que fez um bom primeiro tempo, caiu de produção na segunda etapa e a bola teimava em não entrar nas oportunidades que surgiam. Mas, mesmo assim, foi ele quem começou o contra-ataque que resultou no segundo gol, marcado novamente por Isco, após passe de Asensio. O ataque madridista subiu em bloco e cada um atraiu a marcação, deixando o meia livre para bater no canto esquerdo do goleiro catalão.


Getty Images
Getty Images

Isco bateu colocado para marcar o segundo


Cristiano ainda deu um preciso cruzamento para Lucas Vázquez, que entrara no lugar de Toni Kroos, mas, mesmo se esticando o quanto pôde, o jovem não conseguiu escorar para o fundo do gol.


Mas a noite era mesmo de Isco. Ele, que costuma ser o responsável pelas jogadas e por dar os passes que acabam em gol, dessa vez mostrou sua versatilidade e, além da atuação destacada na criação, ainda fez a função de atacante com maestria, mostrando que também é uma importante arma do setor de ataque do Real Madrid - o que já é facilmente perceptível sempre que está em campo. Saiu aplaudido de pé nos minutos finais, dando lugar a Borja Mayoral. Reconhecimento mais do que merecido.


Com a primeira vitória em casa, a tendência que a tranquilidade, pouco a pouco, volte a reinar no Santiago Bernabéu. Agora, sim, começou o campeonato para o Real Madrid!



Siga Rodrigo Rebelo no Twitter | Siga o Conexão Merengue no Twitter | Curta o Conexão Merengue | Curta o ESPN FC