Neymar, Mbappé e cia: no papel, o maior PSG da história

Divulgação/PSG
Divulgação/PSG

Mbappé chegou para formar um ataque dos sonhos


O mercado da temporada 2017-2018 fechou trazendo sonhos como nunca se viu em Paris. O clube da capital francesa trouxe nada menos do que o melhor lateral-direito do mundo (e de graça), um dos melhores jogadores do planeta e a maior promessa dos últimos anos. Além disso, conseguiu segurar todos os seus principais jogadores, perdendo apenas alguns que teriam status de reserva este ano.


Após o frisson com a chegada de Neymar, outra novela que se arrastava há tempos foi encerrada: Kylian Mbappé é nosso! O jovem atacante, nascido no mesmo ano da conquista do Mundial dos Bleus, é nascido e criado em Bondy, no subúrdio parisiense, e nunca escondeu seu amor pelo PSG. Assim, nada mais natural do que tê-lo agora na equipe, em negociação por empréstimo com opção (leia-se obrigação) de compra no ano que vem.


Reprodução
Reprodução

Mbappé ainda criança, posando diante do escudo do PSG no Parc des Princes


Um ataque formado por Neymar, Mbappé e Cavani, com Draxler, Di María, Pastore, Lucas e Ben Arfa como opções. Parece coisa de sonho. Somado a isso, ainda temos um time com Dani Alves, Thiago Silva, Marquinhos, Verratti e Rabiot. No papel, este pode ser considerad o maior time de nossa história. Resta ver em campo se dará resultado. Ainda mais porque temos algumas interrogações, como os goleiros Areola e Trapp, o lateral-esquerdo Kurzawa que vem deixando a desejar, e Thiago Motta, que está na reta final de sua carreira e oscila bastante.


Na Ligue 1, o Paris tem a obrigação de reconquistar a taça, já que o Monaco perdeu quase todas as suas estrelas da temporada passada e o restante não tem condições de competir com o nosso poderio financeiro e técnico. Mas a grande vedete parisiense continua sendo a Champions, onde nenhum time jamais terá a obrigação de conquistá-la, tamanho o nível dos concorrentes. Porém, fazer um papel digno este ano é mais do que uma obrigação, independente do resultado final.


Que Unai Emery possa dar conta do recado ao gerir este grupo promissor, e que os atletas saibam da responsabilidade que carregam. Nossos sonhos e esperanças são enormes.


ICI C’EST... PARIS!!!!!!