O PSG que o torcedor deseja ver em 2017

Divulgação/PSG
Divulgação/PSG

Thiago Silva em 2017: 3 jogos, 3 gols marcados


O segundo semestre de 2016 não foi fácil para o torcedor parisiense. Vimos um clube batendo cabeça dentro e fora de campo, mostrando-se perdido e muito abaixo do que vinha apresentando nos últimos anos. Mas os primeiros dias de 2017 trouxeram um pouco mais de esperança ao torcedor.


Foram apenas três jogos oficiais, contra clubes que não botam medo em ninguém, mas a melhora em campo é nítida – ainda mais se levarmos em conta que estávamos sofrendo diante de adversários do mesmo nível no ano passado. A estreia oficial foi coroada por um sonoro 7 a 0 sobre o Bastia pela Copa da França, no Parc des Princes. Três dias depois, vencemos o Metz em casa por 2 a 0 em mais um jogo bem controlado em casa. Agora, voltamos à Ligue 1 derrotando o Rennes, que faz boa campanha e é sempre forte dentro de casa, por 1 a 0. As coisas não mudaram da água para o vinho de um mês para cá, mas é nítida a melhora do Paris.


O time está mais compacto, dando menos espaços ao adversário. Com a bola, parece ser mais seguro de si e saber o que e quando fazer, sendo mais vertical do que antes, quando só rodava a pelota sem objetividade. Até o espírito coletivo melhorou, com mais aplicação em campo. Outro ponto a se destacar e que estava fazendo falta era o aproveitamento nas bolas paradas, que cresceu bastante, principalmente com Thiago Silva – que já marcou três gols de cabeça após cobranças de escanteio este ano.


Divulgação/PSG
Divulgação/PSG

Julian Draxler marcou belo gol na vitória sobre o Rennes por 1 a 0 fora de casa


A pausa parece ter feito bem a Unai Emery, que repensou muitas de suas decisões no comando técnico da equipe, assim como outros jogadores também voltaram mais renovados. Mas é óbvio que o destaque ainda é Marco Verratti, que continua sendo o maestro da equipe, fazendo a máquina funcionar e dominando o meio de campo. O alemão Julian Draxler é outro que vem fazendo a diferença, mesmo com pouquíssimo tempo no clube. Mais ligado e motivado em relação ao que vinha fazendo no Wolfsburg, o meia se destacou contra o Rennes e mostrou que pode ser uma bela opção na ponta-esquerda.


Ainda é cedo para se empolgar, ainda mais pelo fato de sermos 3º colocados na Ligue 1 e termos o poderoso FC Barcelona pela frente nas oitavas da Champions. Precisamos melhorar muito mais para atingirmos nossos objetivos, mas os primeiros passos estão sendo dados e espero que a equipe cresça cada vez mais de produção até meados de fevereiro.


ICI C’EST... PARIS!!!