Portuguesa Red Bull: torcida cria campanha para salvar a Lusa

Eliminada ainda na primeira fase da última divisão nacional, a Portuguesa agora corre riscos reais de não disputar nenhum torneio no segundo semestre. A sequência de polêmicas, crises internas e problemas políticos fizeram com que o clube, antes na elite do brasileiro, caisse ladeira abaixo nos últimos quatro anos. Após mais uma campanha abaixo do esperado, a torcida volta seus olhos para o passado de glórias, com o objetivo de encontrar a ideia para a construção de um novo futuro.


Reprodução/Facebook
Reprodução Facebook

Projeto da 'nova camisa' de uma possível parceria Lusa/Red Bull Brasil


Fundada na fusão de cinco Clubes da colônia, a Rubro-Verde apenas disputou o Campeonato Paulista de 1920 devido a uma união com a Universidade Mackenzie. Com o objetivo de profissionalizar a pasta e em virtude desta ideia, os torcedores verde encarnados criaram uma campanha para repetir uma parceria ou fusão, desta vez com o Red Bull Brasil, time que também foi eliminado da Série D, mas que ocupa a Série A1 do Campeonato Paulista, o que possibilita uma nova participação do torneio, em caso de boa campanha no estadual.


Imagens com possíveis novos escudos e até camisas da apelidada "Lusa Red Bull" tem ganhado espaço nas redes sociais, até mesmo em grupos que contam com membros da atual diretoria. Imagens com o "novo" escudo, camisa e até vídeos têm sido veiculados para reforçar esta proposta.


A campanha tem ganhado novos adeptos a cada dia e até as páginas das duas agremiações nas redes sociais têm recebido diversos pedidos para que seja estudada uma parceria nestes moldes. 



Vale lembrar que esta não é a primeira vez que a ideia é estudada pelos lados do Canindé. Em 2014 e 2016, o Grêmio Osasco Audax buscou a Lusa para realizar uma parceria nos mesmos moldes, no qual cederia comissão técnica e jogadores para a Rubro-Verde. Na primeira, a proposta foi recusada pelo então presidente Ilídio Lico, enquanto a segunda ficou em passe de espera na gestão José Luiz Ferreira de Almeida, e o então vice campeão paulista não fechou o acordo e se fundiu com o Oeste de Itápolis.


Antes temida por diversas alas no Canindé, a terceirização do Departamento de Futebol ou a fusão com outro clube hoje é considerada uma das únicas, se não a única saída para sobreviver. Contudo, mais que isso, a Portuguesa precisa deixar de lado os duelos de ego, os grupos políticos e começar a pensar mais na própria instituição.


Copa Paulista


Agora eliminada na quarta divisão nacional, a Portuguesa agora volta as suas atenções para a participação na Copa Paulista. Isso porque o campeão do torneio estadual ganha vaga para a disputa da Série D em 2018. A Lusa está no Grupo 3 ao lado da Portuguesa Santista, São Caetano, Juventus, Água Santa, Taubaté, Nacional e Santos. A estreia é diante da Briosa, na terça-feira (4), no Canindé.


Reformulação


Divulgação/Portuguesa
Divulgação Portuguesa

O meia Rico foi um dos atletas dispensados pela Portuguesa


A Portuguesa já iniciou mudanças no plantel, de olho na disputa da Copa Paulista. O clube oficializou a dispensa dos jogadores Ronaldo (volante), Fernando (volante), Amaral (lateral-direito), Claudio (atacante), Adilson (atacante), Rico (atacante) e Paulinho Le Petit (meia). Além disso, a Rubro-Verde deve oficializar, nos próximos dias, a contratação do zagueiro Rodolfo, de 28 anos, que estava no Passo Fundo. 


Protestos


A torcida organizada Leões da Fabulosa divulgou uma nota oficial, por meio de sua página no Facebook, no qual lamentou o "falecimento" da Portuguesa. Após alguns minutos, a nota foi retirada, mas um novo comunicado foi feito, no qual a torcida ressalta que "a torcida da Portuguesa merece presidentes, vices e diretores melhores dos que os últimos que estiveram por lá".


Protestos 2


A internet também foi uma das maneiras utilizadas pelos torcedores para criticar a eliminação da Lusa na Série D. O presidente Alexandre de Barros e os ex-presidentes Manuel da Lupa, José Luiz e Ilídio Lico foram responsabilizados pelas más campanhas nos últimos anos.


Desculpas


Após a derrota para a Desportiva-ES e a eliminação na Série D do Campeonato Brasileiro, o presidente Alexandre de Barros divulgou uma nota no site oficial, na qual admitiu responsabilidade pela má campanha da Rubro-Verde nos torneios disputados neste ano, pois foi o responsável direto pela montagem do elenco, já que, desde que assumiu, o presidenciável não conseguiu nomear um vice-presidente de futebol. "À nossa apaixonada torcida fica o agradecimento e as desculpas por privá-los das alegrias que eles sonham e merecem. Nessa caminhada, e em tantas outras, ela sempre esteve ao lado da nossa querida Lusa, com críticas ou aplausos", afirmou.