Eleição do COF é cancelada e acordo trabalhista da Lusa segue sem definição

Além dos gramados e credores, a Portuguesa trava mais uma batalha para seguir com sua sobrevivência, desta vez em seu próprio meio político. Sem a composição de um Conselho de Orientação e Fiscalização, a eleição para a composição da pasta, anteriormente marcada para esta terça-feira (11), foi cancelada em virtude da ausência de chapas para concorrer ao COF.


Luiz Eduardo Pêcego
Luiz Eduardo Pêcego

Cancelamento da eleição do COF foi confirmada pelo Clube, em comunicado divulgado nesta terça-feira


A informação foi confirmada pelo clube, por meio de um breve comunicado e destacou que a solicitação foi feita pelo presidente do Conselho Deliberativo, Doutor Leandro Teixeira Duarte, que ainda informou que "outra data para esta finalidade será designada e oportunamente divulgada aos conselheiros".
O fato engessa ainda mais o pré-acordo firmado entre a Portuguesa e a advogada Gislaine Nunes, já que, para que o contrato seja assinado, é necessário que a minuta do mesmo, além do projeto imobiliário, passe primeiramente pelo COF, antes de seguir para a o Conselho Deliberativo e a Assembleia.


Acompanhe o Ordem de Avis no Facebook 


O Ordem de Avis já havia divulgado em outros posts a guerra política vivida nos bastidores do clube entre a situação e oposição, que tem dificultado um acerto, em definitivo, para a questão das dívidas trabalhistas, que ocasionaram no bloqueio de bens e no leilão do estádio do Canindé, que não aconteceu por conta da falta de interessados para arrematar o terreno.


E não é apenas o COF que vive uma ausência de integrantes. A primeira reunião do Conselho Deliberativo no ano, realizada no final de março, foi cancelada por falta de quórum. E na pauta, estava a avaliação do balanço de 2016, mas, uma ala que não compareceu no encontro, obrigatório a ser realizado no estatuto, defende que o mesmo não teria utilidade, pois os documentos deveriam passar no Conselho de Orientação e Fiscalização que não existe desde dezembro.


E neste duelo de dedos apontados em riste, críticas e culpados, a Portuguesa segue este marasmo corriqueiro e, de dentro para fora, frustra a esperança de seus torcedores para reerguer a sua maior paixão.


Fator casa


Os duelos diante de São Caetano, nesta quarta-feira (12), e Oeste, na próxima segunda-feira (17), serão em casa e são as chances dos comandados de Estevam Soares aproveitarem a sequência diante de sua torcida para conquistarem a classificação. Foi em casa, inclusive, que a equipe verde encarnada conquistou seus melhores resultados. Em seis jogos no Doutor Oswaldo Teixeira Duarte, foram cinco vitórias e apenas uma derrota. Contudo, o mesmo não podemos dizer longe de seus domínios, no qual venceu em apenas uma oportunidade, empatou em outras duas e foi derrotada em outras seis.


Base


Antes do time principal entrar em campo, o Sub15 e Sub17 fizeram as suas estreias no Campeonato Paulista. O primeiro perdeu para a AD Guarulhos, por 1 a 0, enquanto o segundo ficou no empate diante do Índio Guarulhense, em 1 a 1. As equipes voltam a campo na disputa do Campeonato Paulista na partida diante do Taboão da Serra, a partir das 9h, fora de casa.


Paulistão Feminino


A Portuguesa fez a sua estreia no Paulistão feminino com derrota para o São José, no último sábado, por 2 a 1, fora de casa. Thais anotou o tento lusitano no embate. As leoas voltam a campo pela segunda rodada do torneio diante do Santos, no próximo domingo (16), às 15h, no Centro de Treinamento do Parque Ecológico.


Mudanças


A Portuguesa/SCM fez uma reformulação em seu plantel para a disputa do Circuito Paulista de Futebol 7. Entre os destaques está a mudança do treinador. Thiago Dacal chega para o lugar de Cadenazzi. Na estreia no torneio, no entanto, a Rubro-Verde sofreu com a falta de entrosamento e perdeu para o Grêmio Osasco, por 6 a 1.