Presidentes de Lusa e Bragantino são denunciados no TJD

A discussão entre os presidentes da Portuguesa, Alexandre de Barros, e do Bragantino, Marquinhos Chedid, no intervalo da partida entre as duas equipes, no último final de semana, ganhou um novo capítulo. Como adiantado pelo Ordem de Avis, o árbitro Rodrigo Gomes Paes Domingues anotou na súmula o episódio antes do segundo tempo do confronto, que terminou com triunfo dos donos da casa, por 1 a 0, e agora o caso irá para o Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo.


Rafael Moreira/C.A. Bragantino
Rafael Moreira  C.A. Bragantino

Confronto terminou com triunfo do Massa Bruta, por 1 a 0



"Informo vos que, após o termino do 1° Tempo do jogo, quando me dirigia ao vestiário da arbitragem, fui abordado pelo Sr Alexandre Barros, Presidente da Associação Portuguesa de Desportos, questionando sobre procedimento para entrada do médico no campo de jogo. Informo vos ainda que antes do reinício da partida no 2° Tempo, o Sr Marcos Chedid, presidente do Clube Atlético Bragantino, se dirigiu ao 4° Arbitro, solicitando para que seja relatado a abordagem do presidente da portuguesa ao Arbitro do jogo. Neste instante, nas imediações do campo de jogo, ambos os presidentes iniciaram uma discussão ocasionando um principio de tumulto entre seguranças e atletas de ambas as equipes", anotou o juiz, na súmula.


Os dirigentes foram enquadrados no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, por atitude contrária a prática desportiva. O mandatário lusitano foi enquadrado também pela reclamação da demora do atendimento médico do zagueiro Everton, ainda na primeira etapa. O julgamento deve ser realizado até o final do mês. Caso sejam condenados, os mandatários podem até ser suspensos por um período de 30 dias.


Na última segunda-feira (13), o mandatário do Clube explicou a situação, em entrevista à Equipe Líder.


"Eu apenas dialoguei com o árbitro da partida, com a maior educação e respeito dizendo desses lances. Ele disse 'esse cidadão ai?'. (...) Ai ele começou a falar 'Eu estou mandando. Aqui mando eu. Na minha casa mando eu, faz do meu jeito'. E eu falei que não era assim não. Aqui é um campo de futebol e ele me falou 'Mas quem é você?' e falei que era o presidente da Portuguesa e ele do Bragantino. Que o direito dele é o mesmo que o meu. Nós dois estamos jogando um time contra o outro. E foi quando ele tentou me agredir. Foi quando ele foi para cima de mim, eu soltei e chegou a turma do deixa disso para separar quando ele tentou, pois ele estava tentando me arrancar na pancada, quando isso não iria acontecer. Eu pedi para a Federação relatar o fato ate´o final para que isso vá para o tribunal e lá isso seja esclarecido e seja resolvida tanto a situação dele quanto a minha", afirmou.


Eleições


A Portuguesa já tem a data para a eleição dos integrantes do Conselho de Orientação e Fiscalização do Clube. A votação para os novos integrantes do COF acontecerá no dia 11 de abril, enquanto as inscrições para os conselheiros interessados apresentarem a sua candidatura vão até 26 de março. A data frustra os planos da diretoria lusitana, que pretendia apresentar a minuta do projeto imobiliário e do acordo com a advogada Gislaine Nunes ainda neste mês.


Conselho


O Conselho Deliberativo já tem data para a sua primeira reunião em março. O encontro dos conselheiros será no dia 28, às 19h30, e, a expectativa, de acordo com algumas fontes ouvidas pelo blog, é que seja abordado também a questão do pré-acordo trabalhista lusitano.


Em Guarulhos


A cidade de Guarulhos é o próximo destino dos leões rubro-verdes. O Lusa Lions tem pela frente o São Caetano Blue Birds, no dia 2 de abril, no estádio do Flamengo de Guarulhos, o Antonio Soares de Oliveira, localizado no Jardim Tranquilidade, pela segunda rodada da SPFL. Na primeira rodada, o Lions venceu o Santos Tsunami, por 35 a 7, no Canindé.