Vai começar a temporada do 'novo Porto'

Getty Images
Getty Images

Brahimi e Aboubakar: Ritmo africano no ataque portista


Em uma sociedade cada vez mais consumista, o marketing se faz presente como nunca em nossas vidas, seja ditando tendências ou, principalmente, nos dizendo o que comprar.


Nesse cenário, faz-se sempre necessário despertar o desejo do consumo, a vontade de se querer o novo. Por exemplo empresas de aparelhos eletrônicos, que a cada ano lançam um novo telefone celular, como se houvesse a necessidade de uma troca tão frenética.


Curta o À moda do Porto no Facebook


O futebol, cada vez mais ligado ao mercado, não foge às regras. Toda temporada três uniformes para abrir a carteira dos torcedores. Sem falar na incansável busca pelo inédito. Quem nunca ouviu falar que um jogador era o "novo Messi" ou o "novo Cristiano Ronaldo"?


Os azuis e brancos são uma grata novidade. Praticamente com o mesmo elenco da última temporada, a quarta sem um título sequer, foram a "sensação" da pré temporada em terras portuguesas. Mas como isso? Seria o mesmo produto, mas com uma embalagem diferente? Não!


O "novo Porto" tem a cara de Sérgio Conceição, que fez história no Porto como jogador e volta ao Dragão para recolocar o clube da Invicta nos trilhos. Ao seu estilo, implantou uma filosofia de jogo intensa, com muita verticalidade. Um time que busca ficar o tempo todo em ritmo alto.


Divulgação/FC Porto
Divulgação/FC Porto

Ricardo Pereira voltou do Nice para assumir a lateral direita dos Dragões


Ele soube montar uma equipe sem reforços, se aproveitando de jogadores que voltaram de empréstimo, como Ricardo Pereira e, principalmente, Aboubakar. O atacante camaronês foi reciclado por Conceição. Mas ali não existe jogada de marketing, há trabalho e confiança.


Como um bom produto, o time caiu no gosto da torcida. Lotação esgotada para a estreia diante do Estoril, hoje, no Estádio do Dragão. Os 50 mil ingressos foram vendidos com dois dias de antecedência, o que mostra a confiança dos portistas em uma equipe que jogará pressionada.


Além da grandeza do Porto, um clube acostumado a vencer, existe a pressão para acabar com o jejum de títulos e, consequentemente, evitar que o Benfica consiga o pentacampeonato nacional, igualando o feito dos Dragões em 1999, até hoje a maior conquista do futebol doméstico em Portugal.


Cabe a Conceição e seus comandados mostrar que a pré temporada não foi uma propaganda enganosa. Mais do que um novo Porto, a torcida quer se reencontrar com a velha rotina de títulos.