Após denúncia do Porto, Ministério Público investiga suposto esquema para beneficiar o Benfica

Getty Images
Getty Images

Benfica pode ter sido beneficiado por suposto esquema com a arbitragem


A temporada já acabou, mas o futebol português segue pegando fogo. O Ministério Público acolheu a denuncia do Porto e abrirá uma investigação sobre o suposto esquema de arbitragem que beneficiou o Benfica no título nacional de 2014, o primeiro da série de quatro conquistas consecutivas do clube lisboeta.


Ainda não há provas, mas existe a possibilidade de que o esquema tenha se estendido pelos últimos quatro anos, beneficiando o time encarnado durante a conquista do Tetra.


Curta o À moda do Porto no Facebook


Assim como o MP, a Comissão Disciplinar da Federação Portuguesa de Futebol também abriu um inquérito para averiguar o caso, que já recebeu o apelido de “Benfica Gate” em Portugal.


A denúncia foi feita por Francisco Marques, diretor de comunicação dos Dragões, na última terça-feira, durante o programa “Universo Porto”, do Porto Canal.



Marques apresentou uma troca de e-mails ocorrida em janeiro de 2014 entre o ex-árbitro Adão Mendes e Pedro Guerra, diretor de conteúdo da Benfica TV, onde é debatida a influência benfiquista nos bastidores e, principalmente, na arbitragem.


“Não temos de ser mãezinhas, temos de usar a inteligência a nosso favor. (...). O ‘primeiro-ministro’ (um código para descrever Luiz Felipe Vieira, presidente do Benfica) é um grande homem e um grande líder, conheço as suas capacidades. O Benfica manda mesmo e os outros já não mexem nada. Dizem os grandes sábios dos painéis que algo está a mudar. Este espaço foi conquistado com muito trabalho do primeiro-ministro. Temos de rezar e cantar bem. Quanto às missas, temos bons padres (outro código, dessa vez para os árbitros) para todas", descreveu Mendes na primeira mensagem trocada.


Ainda de acordo com os e-mails revelados, oito árbitros podem estar envolvidos no suposto esquema de favorecimento ao Benfica.


“Temos hoje árbitros que, não sendo internacionais (árbitros FIFA), têm demonstrado excelentes prestações: Bruno Esteves, Manuel Mota, Jorge Ferreira, Nuno Almeida, Vasco Santos, Hugo Pacheco, Rui Silva e Paulo Baptista, que está a fazer uma excelente época", escreveu o ex-árbitro, que pediu para Guerra apagar os e-mails, para depois completar: “Vamos ter os ‘padres’ que escolhermos e ordenarmos. Nas missas que celebrarmos, temos de rezar e cantar bem”.






Nas últimas quatro temporadas o Benfica teve 38 partidas apitadas pelos árbitros citados acima e saiu de campo vitorioso em impressionantes 35 oportunidades, um aproveitamento de 92%, bem acima da média de 73% quando levamos em conta apenas os jogos que tiveram outros juízes.


Para efeitos de comparação, no mesmo período o Porto teve 36 partidas com tais árbitros e venceu 28 (77%), enquanto o Sporting conquistou 30 vitórias em 41 jogos (73%).


Após a denúncia, o jornal “O Jogo” fez um levantamento dos erros de arbitragem nas últimas quatro edições da Liga Portuguesa. Ao todo, o Porto perdeu 13 pontos por conta dos homens do apito, sendo nove desses apenas na última temporada, enquanto os Encarnados se beneficiaram com três pontos, gerando uma diferença de 12 pontos entre eles, bastante acima dos seis que separaram a dupla ao término do campeonato.


“Isto é um esquema de corrupção para favorecer o Benfica. Isto existe. Agora é esperar que as autoridades façam alguma coisa. Estou disponível para entregar isto a quem entender. Vamos averiguar quem são os padres que ordenam nas missas que celebram", esbravejou Francisco Marques, durante a revelação das mensagens no programa “Universo Porto”.