Porto 3x0 Belenenses: de volta ao normal

Getty Images
Getty Images

Danilo (esq) e Soares abriram a vitória portista sobre o Belenenses


O que é a normalidade? Segundo o dicionário, é a característica ou condição de normal ou daquilo que se encontra conforme as regras. Para o Porto, foi a vitória sobre o Belenenses, no Dragão.

Depois de dois empates, que custaram a liderança, o clube da Invicta voltou a vencer. Algo normal para quem vinha de nove vitórias seguidas até tropeçar no Vitória de Setúbal, há duas rodadas.


Curta o À moda do Porto no Facebook


Os comandados de Nuno Espírito Santos, que sofreram dois gols nos últimos dois jogos, reencontraram a normalidade. Saíram de campo sem serem vazados. O que se imagina de quem é dono da melhor da defesa na Europa (entre os campeonatos nacionais), com apenas 13 tentos sofridos em 28 jogos, uma média de 0,46/jogo.

Já o ataque, por sua vez, voltou a funcionar também. Os portistas balançaram as redes três vezes, algo que melhor traduz os 62 tentos em 28 partidas (média de 2,21/jogo), marca do melhor ataque da Liga Portuguesa, do que a forma recente.

O fato é que os azuis e brancos deram o recado de que chegam forte à reta final do campeonato, como os seus números sugerem. Diante do time do Restelo, uma vitória convincente, sem qualquer risco.



Como esperado, foi um primeiro tempo que exigiu paciência. Os visitantes vieram recuados, com marcação baixa e jogando sem a bola (o que aconteceu na maior parte do tempo) no 5-4-1. Deram campo ao Porto, em busca de um contra ataque que nunca veio.

O controle do meio campo era portista, com a dificuldade de se entrar no terço final. A superioridade territorial era tamanha que os responsáveis pela amplitude no ataque eram os laterais Maxi Pereira e Alex Teles, que subiam ao mesmo tempo e atuavam como pontas. Brahimi e André André, com isso, jogavam mais centralizados.

O gol veio ainda no primeiro tempo. Se era difícil entrar na área adversária, o melhor caminho foi o jogo aéreo. Aos 37 minutos, Danilo aproveitou assistência de André Silva para abrir o placar.

A parte final foi diferente. O Belenenses, apesar das limitações técnicas, passou a sair para o jogo, mudando o desenho tático. Era preciso fortalecer o meio campo, então o 4-1-3-2 deu lugar ao 4-1-4-1. Pouco depois foi a vez de André Silva, que voltou do intervalo jogando pelo flanco direito, ser substituído por Corona.


Getty Images
Getty Images

Foi a 20a vitória do Porto em 28 jogos pela Liga Portuguesa


O mexicano entrou muito bem. Com ele e Brahimi abertos, explorando as pontas, os Dragões ganharam força ofensiva. O segundo tento saiu após uma bela jogada de Corona, que serviu Soares para marcar pela 17ª vez na Liga.

O terceiro veio logo em seguida. O argelino converteu pênalti sofrido por ele mesmo e decretou a vitória portista, a 20ª em 28 jogos pela Liga.

Faltando seis partidas para o término do campeonato, o Porto sabe que precisa ser perfeito em seus domínios. O triunfo sobre o Belenenses é uma boa largada, e é preciso manter o ritmo.

Os principais desafios, como esperado, serão longe do Dragão, a começar pelo Braga, já na próxima rodada. Um teste de fogo para quem quer ser campeão.