Atuação vergonhosa faz Ponte levar 'olé' do lanterna

Todo mundo já sabia, imaginava, temia, premeditava. O pontepretano conhece seu time e a capacidade que a Macaca tem de dar vexame em jogos considerados fáceis contra times praticamente mortos na competição. Foi a tônica das conversas entre macacos desde o começo da semana. Em atuação patética, digna de Série B/C, a Ponte Preta foi derrotada pelo Atlético-GO por 3 a 0 e deu de bandeja os primeiros pontos do Dragão no campeonato. Levou 'olé' da torcida e tudo. Francamente.


Reprodução Facebook
Reprodução Facebook

Eu tentei avisar. Pena que eu mesmo não me ouvi


Apesar da certeza de decepção, hoje eles capricharam na dose. Dominando a partida no início, a Alvinegra até esboçou ser dona do jogo. Tocava a bola e envolvia o adversário. Com o tempo, apanhando bastante e sem muita objetividade, a Ponte começou a dar espaço para o fraquíssimo Atlético-GO. Só para ilustrar, o lateral-esquerdo dispensado por deficiência da Nega Veia no primeiro semestre, Breno Lopes, é o meia esquerda do time goianiense. 


Gostando do jogo, o Dragão cresceu e mostrou suas garras. Teve oportunidades sequenciais de gol na metade do primeiro tempo e passou perto de abrir o placar. Foi justamente quando a Macaca tornou a equilibrar o encontro, que, em escanteio achado, Everaldo cabeceou para as redes de Aranha, anotando o segundo gol rubro-negro em 5 jogos de Brasileirão. 


O segundo não tardou em aparecer. Ainda era o time da casa que mandava, enquanto a Ponte não dava nem esperanças de recuperação no marcador. Uma jogada bem trabalhada colocou Everaldo no mano com Marllon, que cometeu pênalti claríssimo. O mesmo atacante, nome do jogo, tirou Aranha da foto e anotou seu segundo tento.


Divulgação/Ponte Preta
Divulgação/Ponte Preta

Aranha não viu a cor da bola do penal anotado por Everaldo


Na segunda etapa, Gilson Kleina resolveu mudar completamente a equipe. Promoveu a entrada dos veteranos Renato Cajá e Emerson Sheik. Logo no primeiro lance, Sheik fez ótimo giro de costas para o zagueiro e por pouco não marcou um golaço, exigindo excelente defesa do goleiro Felipe - aquele que tinha largado o futebol para montar uma pet shop. Foi só.


Depois disso, a Macaca não passou do meio campo e foi incapaz de trocar três passes seguidos. Não criou mais nada, foi lamentável em campo, e entrou na roda do pior time do campeonato. Cajá demonstrou com louvor o motivo de ser pixotado do Bahia e reserva desde que chegou. A Nega levou sufoco até tomar o terceiro gol, provavelmente impedido, é verdade, mas merecido. Que vergonha.


Em partida que só serviu para derrubar a galera em seus "fantasy games" e doar três pontos a um time candidatíssimo a saco de pancadas do campeonato, a Ponte Preta deu 5 passos para trás no certame e na cabeça do torcedor. Desceu 2 casas no tabuleiro - de posições na tabela de classificação - e voltou abruptamente à realidade de ter de brigar contra o rebaixamento. Reforçando a fama de Robin Hood que seu torcedor bem conhece, quando já não tinha confiança em vencer jogo que soava como obrigatório.


Agora, a obrigação é vencer a Chapecoense em Moises Lucarelli domingo, manter o 100% em seus domínios, para voltar aos trilhos de um Brasileirão extremamente difícil. Entretanto, nada apaga tomar três e 'olé' do Atlético-GO. É imperdoável e vai ficar marcado durante todo o campeonato.