Yuri salva e classifica a Ponte. Agora é só 'pedreira'

Após três rodadas sem vitória, a Ponte Preta bateu o São Bento, em Sorocaba, por 2 a 1, nesta noite de domingo. O resultado cravou a classificação do clube para a segunda fase do Paulistão com uma rodada de antecedência, mas a Macaca chegou a arriscar sua vida e dependeu de um erro do goleiro adversário e casquinha salvadora do menino Yuri para decidir. Na bacia das almas.


Agora o ano começa de verdade. E isso que é o mais assustador. Mesmo já garantida no mata-mata contra o Santos, a próxima partida é contra o Palmeiras, o melhor elenco do Brasil no momento. Depois disso, as fases decisivas do Paulista, estreia na Copa Sul-Americana ante o Gimnasia e, mais adiante, o Brasileirão. Ao seu ver, torcedor, estaria a Ponte Preta preparada para a sequência que está por vir?


De maneira alguma essa classificação pode disfarçar e esconder que a Macaca não tem praticamente nenhum trunfo e nenhuma evolução até aqui na temporada 2017. Talvez a artilharia de Pottker - que deixará a equipe após o Campeonato Paulista - e Lucca. 


Analisando por setores, a defesa havia se acertado com a entrada definitiva e Marllon e Yago - sobretudo na saída do pífio Fábio Ferreira -, mas agora leva repetidos gols em bolas alçadas na área. Isso voltou a acontecer contra o São Bento. Preocupante.


Ainda no setor defensivo, o improviso de Jeferson na lateral-esquerda se mostrou a opção menos pior, já que Breno Lopes e Artur são muito ruins. Porém, ainda que foque muito mais na recomposição e se exponha pouco a atacar, o garoto, no mano a mano, é presa fácil e constantemente sofre com jogadas de perigo nas suas costas. 


Na meia-cancha o principal problema. A opção da diretoria e do departamento de futebol foi não contratar nenhum armador para o começo do ano, enfraquecendo a criação do time. Muito mais por economia burra de dinheiro do que por confiança em Ravanelli. Isso transformou o meio campo da Ponte Preta, muitas vezes, num buraco. Sem conexão entre defesa e ataque. Renato Cajá e Xuxa devem chegar para a vaga em breve. 


Como supracitado, o ataque talvez seja a única salvação. Até Clayson resolveu atuar bem e - PASMEM - marcar gol. Gol. No singular. Lucca, a principal contratação do ano, tem dado resultado e Pottker honrando seu compromisso de artilheiro. Há de se lembrar, claro, que deixa o clube após o final do Paulistão. 


Ou seja, agora que o bicho vai pegar, a chinela vai cantar, o filho chora e a mãe não vai ver, é que o time da Macaca está sendo MONTADO. Estamos ainda engatinhando, quando grande parte dos próximos adversários já se encontram em outro nível muito superior. 


Falta de planejamento de qualidade joga a Ponte aos leões a partir de abril.