Terceiro uniforme da Ponte Preta para 2017 será azul

Às vésperas do lançamento do terceiro uniforme da Ponte Preta para a temporada 2017, que promete, novamente, ser "colorido", a adidas, fornecedora de material da Macaca há dois anos, negocia renovação de contrato por mais três. Se confirmado o acordo, ela se tornará a parceira esportiva mais longeva do time campineiro. Porém, a gigante, que a princípio veio como orgulho e salvação do clube nesse quesito depois de anos sem empresas de qualidade, tem ganhado cada vez mais rejeição da torcida por deixar de lado a tradição alvinegra.


Segundo apurou com exclusividade o #MacacaNaESPN, o novo conjunto de jogo do clube será azul - com faixa transversal - e deve ser lançado em pré-venda nesta quinta-feira.


Divulgação/West Ham
Divulgação/West Ham

Novo uniforme pode ser bastante parecido com este alternativo do West Ham, da Inglaterra


O pontepretano é, em geral, saudosista e tradicionalista. A Nega Veia, também por ser um dos clubes mais antigos do Brasil, fundada em 1900, flerta sempre com o ideal de combate ao futebol moderno. E isso não somente na esfera da 'vaidade' com suas cores dentro de campo, mas também o que engloba a luta por ingressos mais baratos, festa nas arquibancadas, paixão verdadeira do torcedor, mais justiça aos times menos favorecidos por federações e negligenciados pelas televisões.


Especificamente sobre a adidas, a qualidade é indiscutível. Certamente uma das melhores fábricas do mundo no assunto, empatada com a Nike na primeira prateleira mundial. A falta de foco e produtos trabalhados exclusivamente para a Macaca são o que causa o desconforto. Veja você:


Hoje, o uniforme número 1 da Ponte, usado como mandante no Majestoso, é idêntico ao número 2 do Sunderland, da Inglaterra. Não julgo aqui o gosto pessoal sobre a peça, já que acho, particularmente, a camisa linda. O sumiço da faixa tradicional é o que mais incomoda. Essa ideia seria perfeita para um uniforme número 3, alternativo, sem precisar ser colorido como o amarelo de 2016 e o azul que está por vir.


Gazeta Press
Gazeta Press

Lucca veste o uniforme de mandante da Ponte Preta lançado em 2016

Divulgação/Sunderland
Divulgação/Sunderland

Lançamento do uniforme número 2 do Sunderland, também inglês


Já o uniforme de visitante da Ponte, o número 2, sempre foi preto, porém, raramente totalmente preto. E novamente sem a faixa transversal. Os detalhes em dourado também incomodam, já que dão um ar de 'Figueirense'. Reforçando a falta de originalidade e exclusividade, a camisa é praticamente idêntica ao modelo visitante da Juventus, da Itália, em 2015.


Gazeta Press
Gazeta Press

Uniforme 2 da Ponte Preta em 2016, abriu mão da tradicional faixa

Divulgação/Juventus
Divulgação/Juventus

Atletas do Juventus apresentam uniforme completamente negro em 2015


A parceria já nasceu conturbada quando a venda 'às cegas' do primeiro uniforme pegou muita gente desavisada, em 2015. A peita, como gostam de chamar os campineiros se referindo à camiseta, era nitidamente uma 'inspired' com o escudo da Ponte Preta bordado. Um conjunto que custaria aproximadamente R$ 80 ao torcedor que produzisse independentemente, era vendido por R$ 200. A qualidade tecnológica era 'climalite', uma linha abaixo da praticada pelos principais clubes patrocinados pela fabricante, todos de material 'climacool'. 


Outra gafe grave foi a prática de preços diferentes para o mesmo produto nos sites de cada parceiro no lançamento do uniforme 1 de 2016. A loja da adidas cobrava quase R$ 100 a menos pela camisa oficial da Ponte, enquanto a Loja da Macaca pedia mais caro num produto igual. Tudo isso causa desgaste e desconfiança do torcedor, por maior e mais renomada que seja a empresa do outro lado.


Por exemplo: não há hoje um meião feito especificamente para a Ponte Preta. A Macaca atua com um par de meias alvinegros padrão da adidas, sem o símbolo do clube. As camisas de goleiro passam por problema parecido e quase nunca estão à venda nas lojas oficiais.  


União terceirizada


O que se tem conhecimento é que a parceria entre Ponte Preta e adidas é intermediada por uma terceira empresa, a Gadel, de sede em Campinas. A Gadel - que, aliás, também faz o meio campo de Coritiba, Figueirense e Ituano com a fornecedora alemã - se apresenta como uma "loja de materiais esportivos", embora sequer tenha uma unidade física. Faz todas suas ações e vendas via internet.


O contrato de fornecimento de material esportivo da Ponte Preta é assinado direto com a Gadel, e não com a adidas. Sem um laço estreito e contato mais próximo diretamente com os alemães, fica difícil para a Macaca ter o relacionamento que demais clubes como Flamengo, Palmeiras e outros gozam com a marca. E, mais uma vez, gera burburinhos na torcida.


Black Friday colorido


Tantas peças, cada uma de uma cor, criaram a suspeita na torcida de que a Ponte seria um depósito de materiais pouco utilizados ou enterrados com a adidas.


Na época da 'black friday', data norte-americana em que as lojas costumam dar super descontos em suas vendas, veja a imagem divulgada pela Ponte Store:


Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

A paleta de cores da Ponte Store

Reprodução/Ponte Store
Reprodução/Ponte Store

Basta fazer uma visitinha no site oficial da loja da Macaca


É de dar calafrios em cada pontepretano que acredita na frase "preto e branco é sua cor" no hino da Macaca. Há uma total ausência de produtos da adidas, sobretudo de uso casual, nas cores alvinegras. Inadimissível. 


Além da terceira camisa a ser lançada nesta semana, a Gadel/adidas planeja mais eventos e estreias para a Ponte Preta no ano. O uniforme número 1 versão 2017 deve sair para o começo do Campeonato Brasileiro, em maio. Já o uniforme 2, assim como no ano passado, promete ser um presente de aniversário ao torcedor, em agosto. 


Nunca te pedi nada, adidas


Logo quando desembarcou em Campinas, a festa foi enorme para a adidas. A confiança depositada era tão grande que o macaco fez poucas exigências para a fábrica. Em nome da marca e qualidade do produto, engoliu a seco coisas que não queria ver no seu clube. Chegou a hora de ouvir o torcedor.


A maioria suplica por simplicidade, tradição e um pouco mais de atenção. Se falta inspiração, aqui vai um dos uniformes mais lindos da Ponte Preta que já vi, pensado e produzido pelo abaixo torcedor pontepretano João Paulo Ferreira, que gentilmente nos cedeu a imagem.


Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Honra às tradições é lei para quem ama o futebol. O pontepretano que o diga