A demissão de Moreira é questão de tempo. E a de Bueno?

Gazeta Press
Gazeta Press

'Eu? Incapaz? Aqui pra vocês!'. Time de Felipe Moreira mais uma vez decepciona taticamente


O empate da Ponte Preta com o Red Bull, no "derbinho", em Campinas, por 0 a 0, demonstrou enorme fragilidade criativa no time da Macaca. Sem conseguir vencer, a Alvinegra perdeu boa oportunidade de crescer no grupo D do Paulistão e aproveitar tropeço do Santos, que perdeu para a Ferroviária, na Vila Belmiro. O Mirassol, atual líder, arrancou empate, em pleno Morumbi, e segue firme na ponta. 


Que Felipe Moreira não tem capacidade para armar um time competitivo, não é novidade para ninguém. Nem mesmo dentro dos portões de Moisés Lucarelli. A opção da diretoria pelo treineiro "prata da casa" era uma óbvia economia burra de investimento, para mais um primeiro semestre sem ambição. 


Mais uma vez sem grande atuação dentro de campo - ainda não jogou o que preste no ano, mesmo quando venceu -, a Ponte Preta teve, hoje, uma melhora significativa no meio campo e na posse de bola. Muito por conta da entrada de Fernando Bob no time. Como é diferente o 'Chapelito'. Soube entender o time, em apenas um treinamento, melhor do que o próprio 'professor'. 


Novamente insistindo na burrice de usar o melhor jogador do time, Pottker, longe do gol, marcando o lateral do time adversário, Felipe, dessa vez, também sacrificou Lucca. O atacante teve de recuar para a posição de camisa 10. Sumido, praticamente não tocou na bola como meia. Todo mundo via, menos Moreirinha. Por mais que Ravanelli ainda seja um juvenil, mais vale um atleta criativo em campo, do que um nulo, como Clayson. 


A saída do ponta inútil para dar lugar a Rava foi o suficiente para melhorar a Macaca, ainda que com a saída de Bob, por cansaço. Mas não foi o suficiente para que a Ponte achasse um gol. 


Em resumo, a Alvinegra não foi mal individualmente. Não teve nenhum jogador com desempenho inferior ao que pode oferecer, salvo uma oportunidade desperdiçada por Pottker dentro da área. Acontece. Faltou conjunto. Típico de uma equipe mal treinada.


E a Diretoria de Futebol?


PontePress
PontePress

Gustavo Bueno falha na montagem do elenco para 2017


Felipe Moreira está longe de ser o único culpado pelo insucesso da Ponte Preta em 2017. Aliás, o gerente de futebol, Gustavo Bueno, também filho de alguém, é o primeiro, no departamento de futebol, para quem se deve apontar o dedo. 


É certo que não é papel de Bueno decidir a quantidade de dinheiro a ser investida na montagem da equipe. O buraco é mais em cima. Mas é nítida a lacuna no meio campo ofensivo da Macaca no atual elenco. Contamos com apenas dois jogadores, João Guima e Ravanelli, ambos beirando os 20 anos de idade. O fiasco na recontratação de Renato Cajá deixa claro a falta de interesse da diretiva alvinegra em reforçar o setor, mesmo tendo opções no mercado. 


Bueno, inclusive, assumiu a responsabilidade pela efetivação de Felipe Moreira no cargo de treinador, confiando, em um aventureiro, o cargo mais alto na coordenação de campo da Macaca. 


Se falta criação dentro de campo e falta criação área técnica, a culpa passa diretamente pelo gerente. 


Medo?


Mais uma vez a diretoria pontepretana expôs seu sentimento perante à torcida: o medo. Após um simples empate, em 0 a 0, contra o Red Bull Brasil, no Moisés Lucarelli, a Polícia Militar foi posicionada em uma das grades divisórias que separam a geral da arquibancada do salão nobre do Majestoso. Lamentável.