A festa de Mertens foi a festa do Napoli

Era o dia do aniversário de Mertens. A festa era pra ele, um dos jogadores mais queridos do elenco pelos jogadores, comissão técnica, e pela torcida, que o idolatra desde sua chegada em 2013.


Mas a festa para Mertens, e para Sarri antes do jogo, com faixa na curva B lotada exaltando o verdadeiro "bola de ouro", não podia se confundir com um relaxamento diante de um Cagliari que reza pelo fim do campeonato.


Logo aos dois minutos, o Napoli já colocaria ordem na casa com o gol de Mertens, que se movimentou muito bem após o cruzamento vindo da esquerda de Ghoulam pra completar um toque só pras redes de Rafael e assim abrir o placar.


O Cagliari sequer ameaçava de verdade. Não havia chutado ao gol de Reina durante boa parte do jogo. Às vezes tudo parecia um videotape do jogo na casa do rival, que nem ameaçava. Embora naquele dia de dezembro, o Napoli esteve mais eficiente, vide o placar.


Mas a eficiência chegou na hora certa com o segundo gol logo na primeira parte da segunda etapa. Com outro belo passe de Ghoulam, agora um movimento diferente, da entrada da área, ao estilo Mertens, colocando a bola do jeito que quis. 


Estava ali definido o trigésimo gol de Mertens na temporada justamente no dia do trigésimo aniversário do belga. Na Serie A, o gol de número 23, deixando-o como terceiro artilheiro na temporada, igualado com Higuaín e atrás de Dzeko e Belotti.


Faltava algo pra coroar a bela atuação da equipe. Um gol a mais, e ele veio com outra participação da estrela da tarde-noite napolitana, um belo passe de Mertens, agora pra Insigne só tocar na saída do goleiro e transformar o jogo numa festa.


O jogo estava definido, só à espera do apito final, mas claro que a defesa do Napoli não poderia deixar de fazer bobagens, como é de praxe. E nos minutos finais, bobeou na frente de Diego Farias, que diminuiu para o rival sardo. Nada que complicasse a vitória, mas que sempre gera raiva, vide a reação de Reina após o gol sofrido.


Por fim, a festa de Mertens foi a festa do Napoli, festa de um ídolo da torcida, com um belo futebol apresentado pela equipe. Que está de parabéns pelo futebol apresentado, assim como nosso camisa 14 pelo aniversário. E que o presente venha no final.


CURTAPágina do Blog Partenopeo no Facebook


SIGA - Página do Blog Partenopeo no Twitter


Reina - Mal foi acionado durante a partida inteira, e só sofreu gol no fim por conta de uma trapalhada de Albiol. Quando foi acionado, foi seguro, mas foi tão pouco acionado... Nota: 6,0


Hysaj - Partida tranquila defensivamente, sem grandes perigos adversários, salvo um lance ou outro. Ofensivamente, chegou até a ajudar no ataque em alguns momentos. Não teve culpa no gol sofrido. Nota: 6,0


Albiol - 90 minutos quase perfeitos, com bons cortes no momento em que o Cagliari ameaçava arriscar nossa vitória. O x da questão foi no minuto 91, quando errou o corte no gol de Diego Farias. Nota: 6,0


Chiriches - Teve lá seus problemas corriqueiros com a saída de bola, mas fora isso, não teve grandes desafios, embora tenha tido uma partida de quase excessiva segurança. Nota: 6,5


Ghoulam - Esteve soberano na fase defensiva, sem perder uma jogada pelo seu lado, e ofensivamente muito bem, criando boas jogadas, incluindo o primeiro e o segundo gol napolitano. Nota: 7,0


Zielinski - Se defensivamente, apesar da boa partida nessa fase, sofreu em alguns momentos, ofensivamente fez uma boa partida, criando boas oportunidades e fazendo a defesa sarda sofrer perigo. Nota: 6,0


Jorginho - Teve uma boa partida de distribuição de jogo. Foi mais uma vez o que trocou mais passes da equipe, com 197 passes, o recorde da temporada, por mais uma vez. Nota: 6,5


Hamsik - Outrora dúvida, o capitão fez uma boa partida sempre achando boas opções pela esquerda em dia inspirado de Ghoulam e Insigne. Além disso, auxiliou muito bem Jorginho na distribuição de jogo. Nota: 6,5


Insigne - Quando está inspirado, é difícil combatê-lo. E nesta tarde, esteve inspirado por mais uma vez, marcando o terceiro gol, e sempre gerando perigo com suas jogadas individuais, e volta e meia com chutes de fora. Nota: 7,0


Mertens - Mostrou que está de parabéns pelo aniversário e pelo futebol apresentado. 30 anos, 30 gols na temporada. Dois gols entre o oportunismo e a sua jogada típica no segundo gol, colocando a boca onde quis. O melhor do dia. Nota: 8,0


Callejón - Errou pouco, teve uma boa atuação, com auxílio na fase defensiva a Hysaj, embora não tenha tido uma partida tão inspirada ofensivamente como outrora. Nota: 6,0


Rog - Mais uma vez com uma grande personalidade a partir da sua entrada em campo, fez uma boa partida, com uma bela ajuda na marcação, ainda que não tenha feito tanto ofensivamente. Nota: 6,0


Milik - Entrou para tentar consumar uma goleada, mas foi pouco acionado em relação ao normal. Nota: 6,0


Giaccherini - Entrou para segurar a bola no ataque, criar uma jogada de perigo no fim, mas nem precisou, ainda que pouco acionado também como Milik. Nota: 6,0


Sarri - Mostrou porque a torcida o considera um "bola de ouro" com o bom futebol apresentado pela equipe o tempo inteiro, trocando um número incrível de passes, criando oportunidades a todo momento, e resolvendo o jogo na hora certa. Fez boas substituições e inteligente ao poupar jogadores. Nota: 7,0


Site oficial: SSC Napoli
Site oficial: SSC Napoli

Tanti auguri, Mertens!