Napoli não gosta de jogos fáceis. E isso é um problema

O jogo contra o Empoli pode ser dividido em duas metades. A metade da banda boa e a metade da banda podre. 45 minutos de ótimo futebol praticado. E outros 45 tenebrosos. Mas que ao menos serviram pra quebrar o tabu no Carlo Castellani, onde o Napoli jamais havia vencido em toda a sua história nos confrontos diante do time da casa.


Os primeiros 45 minutos o Napoli já foi com tudo pro ataque. Tocando bola, tendo a posse da mesma, criando jogo, principalmente na pressão a saída de bola adversária. E nisso, Mertens ganhou a bola e sofreu falta. O árbitro Antonio Damato marcou pênalti, duvidosamente entre a grande área e a linha. Mas o próprio Mertens na cobrança, desperdiçou-a, em bela defesa de Skorupski.


Mas este pênalti perdido nos cinco minutos iniciais não faria tanta diferença. O Napoli continuou com seu ímpeto ofensivo, criou chance com Hamsik, mas foi após cruzamento de Ghoulam que a zaga toscana cortou mal, que Insigne colocou a bola nas redes para abrir o placar para os partenopei.


O bom ímpeto ofensivo continuou. E poucos minutos após o primeiro gol marcado, um belíssimo gol de falta marcado por Mertens. Falta à la Zico? À la Maradona? Escolha o que quiser, mas a beleza do gol foi excepcional.


E o Napoli queria mais. E após grande lançamento, Callejón recebeu bem na direita, ia chutar, mas foi calçado dentro da área. Pênalti claro. Insigne na cobrança, ele bateria sem chances para Skorupski, convertendo e colocando no placar a ampla superioridade daquele primeiro tempo. 


No que começou o segundo tempo, o time mudou da água pro vinho. Parou de arriscar e parecia achar que a vitória estava garantida. Tocando a bola, fazendo o tempo passar. E tudo isso deu no que deu. 


Não por coincidência, aconteceu uma sequência de estupidez no lance do primeiro gol toscano. Primeiro, uma falta estúpida de Callejón. Depois, há de se discutir se Reina armou bem ou não a barreira. E por fim, a barreira abriu na cobrança de El Kaddouri. A lei do ex era certa a favor do Empoli.


E logo o Empoli, na base da raça, foi pro ataque. E logo, em outro lance estúpido, Ghoulam derrubaria Krunic dentro da área. Pênalti claro. E Maccarone, que se arrastava em campo, diminuiu o placar na cobrança de pênalti. Estava confirmado. O pior ataque do campeonato fez dois gols na nossa defesa.  


Por fim, o time da casa continuou a pressão. Mas não houve tempo pra mais nada. Para nossa sorte, a vitória veio. Mas o juízo do segundo tempo foi inexistente. O Napoli flertou com o empate sofrido nos minutos finais. E isso é muito preocupante.


Temos conclusões. O Napoli não gosta de jogos fáceis. Gosta da emoção. O Napoli parece não saber gerir uma partida até o final. O Napoli sem atacar não é muita coisa. Mas por outro lado, soube sofrer, e soube ganhar pontos importantes, vencer na casa do adversário onde nem Diego conseguiu. Foi uma boa partida no primeiro tempo, mas no fim, o Napoli teve mais sorte do que juízo.


CURTA - Página do Blog Partenopeo no Facebook


SIGA - Página do Blog Partenopeo no Twitter


Reina - Fez importantes defesas com sua reatividade. No primeiro tempo, em lance com El Kaddouri. No segundo, em chute dentro da área de Thiem. Nada pôde fazer nos dois gols marcados pelo Empoli. Nota: 6,0


Hysaj - Na primeira metade de jogo, chegou a ser mero espectador, com as jogadas pouco acontecendo pelo seu lado. Mas com o tempo, foi perdendo especialmente na parte física, e assim passou a sofrer pelo seu lado. Nota: 6,0


Albiol - Sua partida não teve grandes riscos a se correr. Problemas, só em alguns erros de passe na saída de bola, mas nada que fosse assim um grande apocalipse. Nota: 6,0


Chiriches - Fez uma boa partida, com bons cortes e bons posicionamentos, ainda que possa ter alguma responsabilidade no lance do pênalti cometido por Ghoulam. Nota: 6,0


Ghoulam - Ofensivamente, alguns cruzamentos não tão bons. Defensivamente, sofreu muito, e foi um dos responsáveis pelo sofrimento do Napoli nos minutos finais. Principalmente pela trapalhada que gerou o pênalti do segundo gol. Nota: 5,0


Allan - Uma ótima partida, sempre ganhando pelo meio nas disputas de bola, seja na fase boa do jogo napolitano, ou seja no momento em que o Empoli era mais perigoso. Nota: 6,5


Jorginho - Fez um bom primeiro tempo, com uma boa distribuição de jogo, ditando o ritmo ofensivo do time, mas na segunda etapa, cansou um pouco, e isso ditou o ritmo mais baixo do time. Nota: 6,5


Hamsik - No primeiro tempo, criou ótimas jogadas, teve boa participação na posse de bola. No segundo tempo, muito pela saída de Jorginho e pela queda técnica de Diawara, teve mais sacrifícios. Nota: 6,0


Insigne - Foi o homem que abriu todos os caminhos para a vitória. Seja com o primeiro gol, sendo oportunista. Seja com o terceiro gol, em boa cobrança de pênalti. A quebra do tabu no Castellani saiu mais dos pés dele. Nota: 7,0


Mertens - Partida muito irregular do belga. Um pênalti perdido, seguido de um golaço de falta. Depois, boas jogadas e algumas bolas perdidas. De tanta irregularidade, uma nota regular. Nota: 6,0


Callejón - Entre altos e baixos na partida, foi ativo em dois lances de gol: primeiro, sofreu o pênalti do terceiro gol napolitano. Depois, fez uma falta estúpida onde saiu o primeiro do Empoli. Entre altos e baixos, a nota média. Nota: 6,0


Diawara - Foi fraco na distribuição de jogo, e pior ainda na marcação, onde mal conseguia dar botes, bem perdido em campo, e nem tão agressivo quando o time precisava disso. Nota: 5,5


Giaccherini - Entrou para segurar a bola no ataque, mas não conseguiu fazê-lo com qualidade. Metade por perder algumas bolas, mas muito mais pelo fato de que não as recebia. Por outro lado, colaborou na pressão defensiva. Nota: 6,0


Milik - Pouco tempo pra mostrar algo. Mal dominou a bola. Poderia ter sido colocado mais cedo. Nota: 6,0


Sarri - Como avaliar? O futebol dos 45 minutos iniciais, com um show de bola, ou o futebol ruim dos 45 minutos finais, quase implorando pro adversário empatar? Por isso, a sua avaliação fica dentro da média. Não dá pra dizer que a atuação foi ruim, mas também ela não foi tão boa assim. Em termos de substituições, demorou muito pra mexer, e não mexeu tão bem, com as alterações tendo efeitos quase nulos ou negativos. Nota: 6,0


Site oficial: SSC Napoli
Site oficial: SSC Napoli

Na foto, alguns dos responsáveis pela quebra do bizarro tabu de nunca haver vencido nos poucos jogos no Carlo Castellani...