Vitória para decretar a paz no Napoli

Após a derrota do meio de semana diante do Real Madrid, uma bomba se estourou sob o Napoli. E pior, uma bomba de fogo-amigo. O presidente De Laurentiis criticou a equipe, o staff da comunicação do Napoli tentou desmentir e surgiram respostas não muito agradáveis de Sarri, Reina e Mertens.


Por isso, o Napoli foi pro jogo em clima de guerra e com direito a silêncio com a imprensa decretado na sexta-feira. As reações da torcida, que já não são tão boas para com o presidente, ficaram piores ainda, com faixas chamando-o de "palhaço".


Mas quando a bola rolou diante do Chievo, o Napoli tratou de esquecer a semana conturbada, e o time de Sarri tentou jogar o seu futebol. Desde o começo do jogo já implantava um jogo de posse de bola claro, a tal ponto que com 10 minutos já tinha tocado a bola por mais de 100 vezes, enquanto o time da casa, menos de 20. 


O Napoli rondava a área, mas não conseguia ameaçar tanto o gol de Sorrentino. Faltava um bom chute pro Napoli. Insigne, então, fez a sua jogada característica, pegou da esquerda, ajeitou pro meio e bateu. Quase no ângulo, sem chances pra Sorrentino. Festa napolitana no Bentegodì.


O time de Sarri continuava a dominar o jogo. E em outro belo passe de Insigne, a vantagem parecia do defensor gialloblù, mas Allan como um leão tomou-lhe a frente e tocou pra Hamsik, que só deu um chute de chapa, ao seu estilo, pra marcar - o 110º gol com a camisa do Napoli. 


Nos primeiros minutos do segundo tempo, parecia outro jogo. O Chievo arriscava mais, mas aos poucos o Napoli foi se acertando de novo, e criando oportunidades. E assim, após jogada trabalhada pela esquerda, bem na partida, a bola chegou ao meio com Zielinski, e o polonês chutou de fora, a bola desviou e acabou entrando. 


A partir do gol de Zielinski, o Napoli cansou e o Chievo passou a chegar mais Em um lançamento que virou trapalhada de Koulibaly, Meggiorini chutou forte pra diminuir o placar.


O Chievo ameaçou várias vezes a meta de Reina, embora o Napoli tenha tido também seus bons momentos, com jogadas trabalhadas com Milik e até um gol mal anulado de Giaccherini, onde só o bandeira viu posição de impedimento dele. 


Com o final de jogo, a paz foi decretada pelos lados de Castelvolturno. Em silêncio, mas com bons significados. Para decretá-los, uma foto ao final do jogo no "social media" oficial do vestiário do Napoli publicada nas redes sociais dele, Pepe Reina. Justamente no único modo "não proibido" pelo Napoli. 


Não é só uma foto. Essa imagem vem depois de dias turbulentos, de tantas farpas e mentiras. Uma imagem com todo o elenco reunido. E que o post termina com a palavra "trabalho". A preferida de Sarri. E além disso, a foto tem as camisas azuis. Ao final, pode ser um indício de que a ala mais importante do Napoli está em paz. É o que importa.


CURTA - Página do Blog Partenopeo no Facebook


SIGA - Página do Blog Partenopeo no Twitter


Reina - Fez uma defesaça quando o jogo estava sem gols, teve saídas importantes quando foi necessário durante a partida, e não teve culpa no gol sofrido. Nota: 6,5


Hysaj - O mais seguro na linha defensiva. Ainda que o Chievo atacasse mais pelo meio ou pela esquerda. Participou mais do ataque na segunda etapa, mas sem poder de fogo. Nota: 6,0


Maksimovic - Dois jogos a se avaliar: Em um deles, no primeiro tempo ele cumpriu bem o jogo pelas linhas, com a linha de impedimento. Em outro, no segundo, era completamente um desastre, perdido, e quase gerou um gol do adversário. Nota: 5,5


Koulibaly - No primeiro tempo não apareceu tanto. Mas no segundo tempo foi um desastre. Errou vários botes, posicionamento, e inclusive, de um corte errado, saiu o gol do time da casa. Sorte que não gerou problemas. Nota: 5,5


Ghoulam - No primeiro tempo, atacou muito mais. No segundo tempo, defendeu muito mais. Em ambos, uma partida dentro da média, sem grandes exaltações. Mas foi bem. Nota: 6,0


Allan - Vinha muito bem no jogo, defensivamente sem perder uma no meio, e através disso, quando entrou dentro da área e fez isso, se confirmou a jogada do segundo gol napolitano. Uma pena que teve de sair cedo do jogo. Nota: 6,5


Jorginho - Fez uma boa partida, recuperando diversas bolas na fase defensiva, e sendo um importante distribuidor de jogo. Raramente dava mais que dois toques na bola. Nota: 6,5


Hamsik - Boa partida do capitão, premiada com mais um gol. Sempre criando perigo, ainda que no segundo tempo esteja um pouco mais desaparecido, em virtude do seu cansaço. Nota: 7,0


Insigne - Com um toque só, já deixava a defesa do Chievo em pânico. Inspirado, decidiu um jogo com uma belíssima jogada individual. E dos seus pés, nasceram o segundo gol. Só isso já o fez o melhor em campo. Nota: 7,5


Pavoletti - Ainda parece se adaptar ao estilo de jogo do Napoli, com menos cruzamentos, mas agora se movimenta mais, toca a bola, e até ajuda bem na fase defensiva. Mas foi só isso. Nota: 6,0


Callejón - As vezes sumido do jogo, muito pelo lado direito não ser tão acionado, participou bem quando chegou a sua vez. Bons movimentos que criaram perigo. Nota: 6,0


Zielinski - Entrou com grande impacto ofensivo na partida. Ainda que não tenha sido tão forte defensivamente, na parte ofensiva foi muito bem, avançando, e fazendo o seu gol. Nota: 6,5


Milik - Aos poucos foi recebendo boas bolas, próximo do gol, e com boas movimentações. Até participou de boas chances no ataque, e ficou próximo de deixar o seu. Nota: 6,0  


Giaccherini - Deu dinamismo nas ações pela esquerda, entrando bem na área, e até marcando um gol mal anulado pela arbitragem. Nota: 6,0


Sarri - Uma boa partida da equipe, dominando a posse de bola, criando boas oportunidades que geraram conclusões em gol, e consequentemente, os três gols que geraram a vitória. Boas substituições, que geraram perigo e até um gol mal anulado. O sofrimento após o gol de Zielinski foi mais obra do acaso na partida, do cansaço napolitano do que talvez de um extrapoder físico do Chievo, ou uma vantagem deles. Nota: 7,0


Site oficial: SSC Napoli
Site oficial: SSC Napoli

Insigne comemora o primeiro gol do Napoli com seu tradicional coração