Falta de atitude de Montella foi escancarada na derrota do Milan

Mais um teste, mais uma bocciatura, como dizem os italianos. Novamente contra um time com um nível de organização tática e qualidade técnica um pouco mais elevada, o Milan de Vincenzinho Montella sofreu muito, sofreu rude e apanhou. Lógico que ajudaram a Sampdorida de Giampaolo dois episódios clássicos de ZA PA TA ZO - favor ler em ritmo de Despacito -, todavia, não foi só esse o problema e o próprio Marco Fassone falou a todos os microfones que juventude, excesso de jogos ou qualquer outra situação similar não é uma desculpa válida para mais uma atuação de bosta.


Sim, o Zapata falhou NOS DOIS GOLS DA SAMP. O primeiro foi quase um episódio de "Laços de Família" e merecia um capítulo no livro "defesa para idiotas". Afinal, qual capiroto vai cortar um cruzamento no meio da pequena área cabeceando a bola para o meio do pagode? E justamente nos peitos do primo, minha gente! Duvan agradeceu o favor do primo Cristian da melhor maneira possível e afundou as redes de Donnarumma. No segundo gol uma clássica REFUGADA de cavalo paraguaio e deixou o Ricky Alvarez chegar na frente do gol e ampliar o placar para i bluccerchiati.



O problema, contudo, não foi apenas Zapata. Essa partida deixou alguns problemas mais nítidos do que a derrota para a Lazio, por exemplo. A começar pela inércia e incapacidade de Vincenzo Montella no que tange a mudar o panorama do jogo. O técnico campano esperou até os malditos 78 minutos de partida, já com desvantagem no placar, para fazer a primeira substituição e ela foi totalmente ineficaz, assim como as outras duas ocorridas na sequência. E pior ainda, Vincenzinho tirou Suso E Bonaventura de campo para colocar Hakan e Cutrone, sendo que a bola claramente não chegava a Kalinic. O time não rendeu, a equipe precisava claramente de uma alteração já no intervalo e o cabelinho sequer piscou até que fosse tarde demais.


Getty Images
Getty Images

Onde você esteve até o final do jogo que não fez nada, cabelinho?


Outro problema - e agora é problema mesmo - foi a percepção de que, enquanto o sistema com três zagueiros foi benéfico a uns, os principais jogadores do time ainda não se adaptaram muito bem às suas funções. Tanto Bonaventura quanto Suso ainda não entenderam muito bem como devem jogar e se posicionar em campo e isso ficou claro a partir do momento em que Jack tocou o f*da-se e passou a ficar mais tempo na ponta esquerda do que no meio campo. Quanto ao espanhol, aquela magia que ele exalava atuando na ponta direita virou simples lembrança, pois ele jogou longe demais do gol e errou tudo que tentava.


A letargia do time novamente chamou a atenção. Mesmo perdendo e jogando muito mal a olhos vistos, ninguém teve cojones de levantar a cabeça, dar meia dúzia de berros em campo e chachoalhar os ânimos. Que Zapata falhou é inegável, mas Bonucci também nem atuou tão bem, nem se portou como a faixa de capitão exige. Na verdade, parecia que Montolivo ainda estava por alí.


Se contra a Lazio ainda poderíamos relativizar, essa derrota pode ser colocada na conta de Vincenzo Montella. E uma hora a fatura vai ser cobrada, como Fassone deixou claro nas entrevistas pós-jogo e na reunião realizada nessa manhã com o técnico e o Diretor Max Mirabelli. O objetivo é a classificação para a próxima Champions League, e o sucesso deste é inegociável.


- Curtinhas - 


Agora é oficial: Suso teve seu contrato renovado com o Milan até 2022.


Já há algumas vozes dizendo que o cargo de Montella depende dos resultados contra Roma e Internazionale, próximos adversários do Diavolo na Serie A. Pessoalmente, acho muito cedo para demitir o cabelinho, ainda mais por não haver uma reposição muito melhor do que ele à disposição no calciomercato.