Agora vai! A venda do Milan em 3 atos - Parte 3

O título seguiu o mesmo por questão de estilo, mas poderia ter sido alterado para AGORA FOI!. Quem me segue no Twitter sabe que a reunião para a finalização da venda do Milan para os chineses/americanos capitaneados por Yonghong Li e Han Li começou antes das 7 da madrugada deste maravilho dia 13 de abril de 2017 e terminou agora pouco, com uma singela notinha no site da Fininvest, holding da famiglia Berlusconi que detinha o controle acionário da A.C. Milan S.p.A e sim, você leu corretamente, DETINHA, pois:


Divulgação
Divulgação

Comunicado oficial da Fininvest


Traduzindo porca e livremente, a Fininvest confirmou a venda de 99,93% das açõe do AC Milan para o grupo Rossoneri Sport Investment Lux pelo valor de 740 milhões de Euros, sendo 220 milhões apenas em débitos, assumidos pelos novos proprietários. Amanhã será oficialmente a primeira assembleia geral para definir os cargos a serem ocupados na diretoria, mas é quase certo que Yonghong Li seja apontado como novo Presidente, com Marco Fassone seu CEO - cargo ocupado por Adriano Galliani por 31 anos - e Massimiliano Mirabelli como novo Diretor Esportivo - papel que era desempenhado por Ariedo Braida até sua saída para o Barcelona e, assim, absorvido também por Galliani.


Getty Images
Getty Images

Saída pela esquerda, avisa Galliani


O final da Era Berlusconi representa um misto de alegria, alívio e tristeza para todos os milanistas, afinal de contas, desde quando il cavaliere e Adriano il condor assumiram as rédeas do capeta em 1986 o Milan passou de uma segunda potência na Itália para um dos maiores clubes de futebol dessa Terra-616. Sob o comando de Silvio. foram 30 títulos conquistados, incluindo aí 5 Champions League/Copa dos Campeões - para efeito de comparação, mais do que o dobro do que a Juventus tem em toda sua história. Apesar da última década ter sido desastrosa para o clube, tenho absoluta certeza de que todo milanista guardará no coração esses anos de Berlusconi & Galliani.


A partir de agora, nos resta esperar que as promessas de investimento em jogadores para reforçar o time, a manutenção de Vincenzo Montella no comando desse inferno, as renovações mais que merecidas de Donnarumma, Suso e talvez De Sciglio e a permanência de Gerard Deulofeu se tornem realidade. Antes de sair gastando dinheiro com contratações, os novos donos têm por obrigação manter a ótima base construída nessa temporada.


Adeus, Berlusconi, obrigado pelas lembranças e pelos títulos. Seja bem-vindo, Yonghong Li, espero que você tenha vindo com a carteira recheada.